Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Temer chama impeachment de Dilma de 'golpe' e viraliza nas redes sociais

Notícias

Política

Temer chama impeachment de Dilma de 'golpe' e viraliza nas redes sociais


A entrevista que o ex-presidente Michel Temer concedeu ao programa "Roda Viva", da TV Cultura, na noite de segunda-feira (16), é o assunto mais comentado no Twitter na manhã desta terça-feira (17).

O nome do ex-presidente é o primeiro termo entre os dez mais citados da rede social, enquanto a expressão "foi golpe", fazendo alusão à expressão utilizada pelo próprio ex-presidente para se referir ao impeachment que o levou ao poder em 2016, figura em sexto lugar

Durante a entrevista, Temer reiterou que não participou da articulação do impeachment de Dilma, em 2016. Ele disse que era simpático a uma aproximação com a então presidente e com Lula, mas que não havia apoio no MDB para seguir com uma sustentação do governo PT.

"Eu jamais apoiei ou fiz empenho pelo 'golpe'", disse Temer. "Eu não poderia ser o articulador de um golpe porque chegaria muito mal no governo."

 Ex-presidente Michel Temer concedeu entrevista ao programa "Roda Viva" (Foto: Reprodução/TV Cultura)
Ex-presidente Michel Temer concedeu entrevista ao programa "Roda Viva" (Foto: Reprodução/TV Cultura)


As falas de Temer incomodaram a militância virtual bolsonarista. O youtuber de extrema-direita Bernardo Kuster, que tem quase 300 mil seguidores no Twitter, afirmou que, "no fim das contas, ao afirmar que o impeachment de Dilma foi golpe, Michel Temer apenas provou que sempre foi aliado do PT".

O blogueiro Allan dos Santos, que colocou em circulação nesta segunda-feira um formulário para estabelecer uma "militância bolsonarista organizada" nas redes sociais, relacionou a declaração de Temer ao Movimento Brasil Livre (MBL), que está organizando um congresso no qual o ex-presidente palestrará.

Já a oposição ficou amplamente satisfeita com a entrevista. A candidata à vice-presidente na chapa de Fernando Haddad nas eleições do ano passado, Manuela D'Ávila (PCdoB-RS) escreveu que "até o Temer já assumiu que foi golpe, e você?". Adversária histórica do presidente Jair Bolsonaro quando ele era deputado, a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) foi na mesma linha e afirmou que "todo mundo sabia que era golpe, e o pior é que o golpe segue...".

Candidato derrotado à Presidência pelo PSOL, Guilherme Boulos elogiou o programa. "O Roda Viva parece estar provocando lampejos de sinceridade nos entrevistados. Hoje, Temer, o golpista, admitiu o golpe. A Daniela Lima apresentadora poderia convidar Moro e perguntar para ele se o Lula é preso político", ironizou, mencionando o ministro da Justiça e Segurança Pública

Alguns internautas lembram, ainda, de um post recente da deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP), uma das autoras do pedido de impeachment que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff, no qual ela questiona seus seguidores se acham mesmo que Dilma caiu por um problema contábil. O deputado federal Helder Salomão (PT-ES), disse que "depois da Janaína Paschoal, foi a vez de Michel Temer admitir o golpe contra a presidente Dilma Rousseff".


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados