Supermercados abertos aos domingos

Luiz Coutinho é diretor-presidente da Rede Extrabom (Foto: A Tribuna / Tribuna Livre)
Luiz Coutinho é diretor-presidente da Rede Extrabom (Foto: A Tribuna / Tribuna Livre)
A abertura dos supermercados aos domingos, um tema já definido em muitos países e nos demais Estados brasileiros, se tornou uma realidade no Espírito Santo. Embora saibamos que a opção pelo funcionamento neste dia, por muitos anos consagrado ao descanso, desagrada a alguns, é fundamental que todos entendam que vivemos novos tempos.

O cenário que temos hoje é surpreendentemente diferente do que o vivíamos há poucos anos. O mundo segue uma nova dinâmica, com o comércio cada vez mais voltado para atender às demandas dos seus sempre muito ocupados clientes.

No caso específico do setor supermercadista, corrobora a tomada desta decisão, o recente decreto presidencial que o tornou uma atividade essencial, colocando-o ao lado de categorias como hospitais, farmácias, restaurantes, entre outras.

Em nosso Estado, os supermercados não abriam regularmente ao público, aos domingos, desde 2009, por conta de Convenção Coletiva de Trabalho assinada entre a Fecomércio-ES e o Sindicomerciários-ES. Esse acordo expirou no dia 31 de outubro e após muitas negociações, venceu o bom senso, ou seja, fica valendo, a partir de agora, a abertura dos supermercados e hipermercados nesta data, de forma facultativa.

Com esta definição ganha todo o Espírito Santo. E é fundamental que todos nós, envolvidos neste embate, saibamos seguir rumo aos próximos desafios que virão, levando em consideração os anseios do consumidor. Novos temas surgirão e alguns deles vão, novamente, inquietar os capixabas.

Por isso, é necessário que prevaleça a livre iniciativa empresarial para quaisquer deliberações.

Somente assim, será possível tomarmos as decisões necessárias para nos mantermos competitivos e prestadores qualificados de serviços. Nosso agir tem que se orientar para decisões pautadas no bom senso, estrategicamente aliadas com a demanda do consumidor, afinal, é por ele que existimos. Mas isso sem perder de vista os respectivos direitos e deveres das partes envolvidas, obedecendo às leis vigentes e os acordos celebrados entre colaboradores e empresas.

A abertura aos domingos também incrementará o turismo, com a chegada do verão e dos visitantes que vêm para aproveitar a estação. Mais do que isso, trará benefícios para todos os capixabas, com positivos impactos socioeconômicos. Temos, no Espírito Santo, um setor supermercadista forte e representativo, cumpridor de seus compromissos com o Estado e com seus mais de 40 mil colaboradores diretos. Nossas empresas são plenamente capazes, portanto, de escolher os seus próprios caminhos e poder continuar gerando empregos, rendas e riquezas para o capixaba.

Atuando no setor há 40 anos, reforço que realmente a melhor decisão para este caso foi a da abertura dos supermercados aos domingos e, para as próximas demandas que virão, proponho, a título de economia de tempo e recursos, sempre nos pautarmos pela prática da “livre iniciativa”.

Na Rede Extrabom, algumas lojas já abrirão a partir do dia 2 de dezembro. Temos certeza que o capixaba, de forma geral, vai comemorar essa decisão, considerando que, muitas vezes, pela vida atribulada que leva, só tem essa data para ir ao supermercado.

Boas práticas e o bem servir afinal é o que norteiam nosso segmento.

Luiz Coutinho é diretor-presidente da Rede Extrabom


últimas dessa coluna


Natal para todos

Começamos o tempo litúrgico do Advento, em que várias tradições cristãs se preparam para a solenidade do Natal. “Natal” significa “nascimento” e a Festa do Natal lembra o nascimento de Jesus, que se …


O mundo virtual está moldando a sociedade em que vivemos?

Tenho acesso a internet desde os meus 12 anos, sempre fui curiosa em relação a essas coisas, mas meus pais não tanto. Na maior parte do tempo eles só sabem entrar em redes sociais, baixar algum jogo …


Violência: onde está a saída?

O que é o que é que quanto mais se tira maior fica? Quando o meu avô me propôs essa questão, deu um nó na minha cabeça: tirar = aumentar? Não soube responder que era o buraco. Não percebi que se …


Por onde anda o seu foco?

O verbo da moda é focar. Ele está na boca de quase todo mundo, principalmente dos ansiosos. Todos se dizem focados em alguma coisa, essa é a grande mentira do mundo moderno. Como uma mente …


Bases comunitárias móveis. A verdadeira polícia de proximidade

Um fator preponderante para estimular a confiança, respeito e credibilidade em qualquer relação é a presença física, com demonstração constante de preocupação, cuidado e total atenção. O …


Violência nos ônibus: transporte do medo

Diariamente, milhares de capixabas utilizam o transporte público para realização de uma série de atividades. Nas últimas semanas, esse sistema virou alvo fácil dos bandidos. Os passageiros, desprovid…


Os idosos e a depressão

Com o passar dos anos, que traz o envelhecimento, as relações sociais das pessoas idosas tendem a diminuir. Em razão da aposentadoria, por exemplo, muitos passam a ficar mais tempo em casa. Ou, …


Direitos humanos e desafios

Amanhã, dia 10 de dezembro, o mundo celebra os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Mais do que um documento histórico chancelado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948, …


A humanidade como virtude

Não nascemos humanos, transformamo-nos em humanos – ou não! Pode parecer estranho, mas é exatamente a contingência histórica que promove seres nascidos potencialmente humanos a humanos de verdade. …


Cartórios são mais que registradores

A maioria da população não sabe o porquê da existência dos cartórios e muito menos reconhecem a sua grande importância dentro da sociedade. Do nascimento à morte, os cartórios têm a função de …