8º Congresso de Educação

Sete atitudes para educar com excelência


Palestra Erick Penna  (Foto: Jefferson Rocio/ Divulgação do Sinep)
Palestra Erick Penna (Foto: Jefferson Rocio/ Divulgação do Sinep)


“O dom de motivar na arte de educar” foi o tema da palestra ministrada pelo educador e consultor Erick Penna, durante o 8º Congresso Educacional das Escolas Particulares, promovido pelo Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Estado (Sinepe), hoje e amanhã, no Centro de Convenções de Vitória.

Em uma palestra divertida e bem humorada que fez a plateia rir e se emocionar, o palestrante apresentou aos profissionais da educação presentes no evento as sete atitudes indispensáveis ao educador que deseja atuar com excelência no ensino.

A primeira delas trata da necessidade de evoluir constantemente, por meio do pensamento crítico com vistas à transformação do ensino e à melhoria da educação.
A segunda atitude refere-se à atenção dedicada tanto à rotina da sala de aula quanto às novas tecnologias e às inovações que podem ser aliadas na educação.

A terceira atitude, de acordo com o consultor, trata da importância da formação continuada. “Formação técnica, desenvolvimento de novos saberes, acúmulo de novos conhecimentos por meio de congressos, cursos e conferências faz parte da formação constante que os educadores de excelência precisam ter”, disse Erick.

Transmitir conhecimento de forma eficaz e fazer-se entender, por meio de uma boa comunicação, é a quarta atitude indispensável à excelência do ensino. Já o amor é a quinta e talvez a mais importante das atitudes, segundo Erick.

 (Foto: Jefferson Rocio/ Divulgação do Sinep)
(Foto: Jefferson Rocio/ Divulgação do Sinep)
“A didática do amor tem a ver com reconhecimento, elogio, motivação, contato físico, um abraço, um sorriso, um olhar de afeto e compreensão, saber ouvir, saber reconhecer as várias formas de demonstração de amor e valorizá-las”, afirmou.

Trabalhar com paixão, otimismo e motivação faz parte da sexta atitude indispensável ao profissional da educação. E por último, mas não menos importante, é indispensável fazer a diferença. “Esses são espaços de reflexão, de buscar dar o melhor de si, de promover o engajamento da equipe. Isso tudo faz a diferença”, finalizou Erick.