8º Congresso de Educação

“Sem afeto entre professor e aluno, não há aprendizado”


Psicopedagoga, escritora e terapeuta Ester Assis (Foto: Jefferson Rocio/ Divulgação Sinepe)
Psicopedagoga, escritora e terapeuta Ester Assis (Foto: Jefferson Rocio/ Divulgação Sinepe)


Para haver um aprendizado eficaz, o afeto entre professor e aluno é indispensável. Essa é a opinião da psicopedagoga, escritora e terapeuta Ester Assis. Ester é uma das palestrantes do segundo dia do 8º Congresso Educacional das Escolas Particulares, promovido pelo Sindicato das Empresas Particulares de Ensino no Espírito Santo (Sinepe), em Vitória. 

De acordo com Ester, que é idealizadora e diretora do projeto Nove Mais Amor, a afetividade e a cognição andam juntos. “É importante que os professores conheçam seus alunos e saibam como eles estão emocionalmente. Se essa criança estiver bem, as outras funções, como cognitivas e executivas entram em ação, e a criança realmente consegue aprender.”

Ela explicou que, quando a criança chora ou não gosta de ir à escola, é porque há algum bloqueio emocional. “Se essa criança não se sentir acolhida na escola, ela tem um bloqueio emocional para a aprendizagem. Por isso que tem crianças que vão para a escola e choram uma semana e não querem ir mais. Porque elas não conseguiram criar um vínculo nem com o professor nem com os alunos.”

Ester ressaltou que, quando um aluno que tem notas altas cai de rendimento, a causa geralmente se deve a uma dfisfunção emocional e socioemocional.

“Se a criança não está bem emocionalmente, há um bloqueio na aprendizagem. Ela precisa que o sistema límbico esteja em ordem para que as funções cognitivas estejam funcionando bem. A partir do momento que descobrimos o que a criança tem e conseguimos ajuda-la a superar seu problema emocional ou crise, esse bloqueio acaba e ela volta a aprender.”

Neurociências

 (Foto: Jefferson Rocio/ Divulgação Sinepe)
(Foto: Jefferson Rocio/ Divulgação Sinepe)
De acordo com Ester, após ter o laço afetivo, a neurociência vai apontar quais formas de aprendizado eficazes para cada criança.

“Há várias formas de aprendizado e cada criança aprende de forma diferente. Uma ferramenta para potencializar a aprendizagem é a ginástica cerebral. Há vários exercícios de ginástica que estimula o cérebro. Quanto mais ginástica cerebral ela fizer para percepção, linguagem, atenção, memória, entre outros, mais ela vai se abrir para as funções executivas entrarem em ação e assim terá uma aprendizagem significativa.”

No projeto Nove Mais Amor, Ester atua com crianças com algum tipo de deficiência, seja físico ou cognitivo. Nele, ela estimula as crianças de diversas formas para melhorar seus desempenhos. Há a utilização de músicas e bonecos para aproximar as crianças.

“Tudo isso acaba ajudando no aprendizagem. Confeccionei bonecos pela facilidade que a criança tem de se aproximar ao lúdico, de ser algo mais próximo de sua realidade. Ela começa a conversar com o boneco, falar de sua vida para ele. A ludicidade é importante para esse processo de desenvolvimento.”