search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Santos sai perdendo, mas vira pra cima do Ceará e vence na Vila Belmiro

Esportes

Esportes

Santos sai perdendo, mas vira pra cima do Ceará e vence na Vila Belmiro


O Santos venceu o Ceará por 2 a 1 na noite desta quinta-feira (17), na Vila Belmiro, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Santos saiu atrás no placar após Lima marcar belo gol de fora da área, mas virou o jogo no segundo tempo, com gols de Eduardo Sasha e Gustavo Henrique.

Com a vitória, o Santos foi a 51 pontos e segue dois atrás do Palmeiras, segundo colocado, e dez atrás do líder Flamengo. No entanto, a vitória fez o alvinegro abrir sete pontos de vantagem para o quarto colocado, o rival Corinthians. Já o Ceará se manteve fora da zona do rebaixamento pelo número de vitórias, mas viu o CSA igualar a equipe em pontos ganhos.

O próximo desafio do Santos é diante do Atlético-MG, neste domingo (20), às 16h, no Independência, em Belo Horizonte (MG). Já o Ceará viaja até Salvador (BA), onde enfrenta o Bahia, às 19h30, na segunda-feira (21).

Quem foi bem: Sánchez
O uruguaio foi quem mais procurou o jogo nos melhores e nos piores momentos do Santos durante a partida. Nas poucas jogadas produtivas do ataque na primeira etapa, o camisa 7 carimbou cada uma delas. No segundo tempo, cruzou na cabeça de Sasha para o gol de empate. Depois, acertou mais um cruzamento na medida para Gustavo Henrique para virar o placar.

Quem foi mal: Evandro
O meia que vinha em uma boa sequência quase não apareceu em campo. Com a função praticamente de um segundo atacante, pisou bastante na área, mas não conseguiu fazer o que fez de melhor até aqui no Santos: ditar o ritmo do jogo. Na segunda etapa voltou a atuar na linha de meio-campo, mas foi Sánchez quem comandou as ações. Saiu na segunda etapa para entrada de Jean Mota.

Cronologia do jogo
O Santos começou controlado as ações da partida, como costuma fazer, mas foi o Ceará quem saiu na frente. Aos 17 minutos da primeira etapa, Lima acertou um belo chute da entrada da área e abriu o placar. O Santos sentiu o golpe e não conseguiu mais encontrar espaços. O Santos só melhorou na segunda etapa com as alterações de Sampaoli. Aos 10 minutos, Sánchez achou Sasha e o centroavante cabeceou firme para empatar. O cenário se repetiu aos 39, quando o uruguaio cruzou na medida para Gustavo Henrique virar o jogo.

Sampaoli arma equipe sem laterais
O técnico Jorge Sampaoli montou o Santos sem nenhum lateral em campo. Victor Ferraz e Jorge ficaram no banco de reservas e o argentino armou um 3-2-5 com a bola, deixando Pituca e Jobson à frente dos três zagueiros e os outros cinco atletas praticamente em linha no ataque. O esquema não é novidade, já que Ferraz e Jorge costumavam atuar por dentro na fase ofensiva. A formação funcionou de início, mas após o gol do Ceará, o time da Vila parou de encontrar espaços. Aos sete minutos da segunda etapa, Pará e Jorge já estavam em campo, remontando o esquema mais tradicional e melhorando o desempenho da equipe.

Sem referência, Ceará segura o Santos
O Ceará entrou sem um homem de referência na frente, deixando Thiago Galhardo e Felipe Silva à frente das duas linhas de quatro defensivas. A equipe começou sofrendo para marcar o Santos, mas depois do gol melhorou e conseguiu diminuir os espaços e o ímpeto santista. Com as mudanças feitas por Sampaoli, o Peixe melhorou no jogo, mas o Ceará seguiu fechando os espaços e não deixando o Santos trabalhar a bola com tranquilidade. Os gols só saíram de cruzamentos primorosos de Sánchez.

Jogo marca estreia aguardada
Foram mais de seis meses esperando, mas o volante Jobson finalmente fez sua estreia com a camisa do Peixe. Contratado após se destacar no Campeonato Paulista pelo Red Bull Brasil, o jogador teve passagem pela escolinha Meninos da Vila, mas não chegou a atuar na base do Santos. No entanto, o atleta não convenceu Sampaoli e ficou seis meses apenas treinando e jogando pela equipe de aspirantes do Santos. A explicação era que o volante ainda não estava adaptado ao esquema do treinador. Acabou saindo no intervalo, com uma atuação razoável para quem não atuava desde o Paulista.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados