Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Saideira com Jota Quest

Entretenimento

Entretenimento

Saideira com Jota Quest


A mineirice está no sotaque, na prosa boa – que parece contação de causos – e também em cada canção feita ao longo de mais de 20 anos de carreira. E também no clima da nova turnê.

O Jota Quest promete show com 30 canções no Espaço Patrick Ribeiro (Foto: João Paulo Lima/Divulgação)
O Jota Quest promete show com 30 canções no Espaço Patrick Ribeiro (Foto: João Paulo Lima/Divulgação)


Se nos bares de BH “pedir a saideira” é o início de um longo processo para levantar da mesa, o Jota Quest aproveita a deixa para fazer da turnê “Saideira” um show épico, com mais de 30 canções.

O espetáculo encerra o projeto “Acústico Jota Quest”, iniciado em setembro de 2017, e, para o vocalista da banda mineira, Rogério Flausino, tem sido difícil dizer “adeus”.

“Todos os lugares por onde estamos passando, os shows estão lotados. Dá até vontade de ficar assim para sempre. É difícil. Mas é bola para frente, que no ano que vem tem novidade”, diz o simpático atleticano de 47 anos.

No Espaço Patrick Ribeiro, na sexta-feira, Flausino PJ, Paulinho, Marco Túlio e Márcio Buzelin vão tocar canções muito conhecidas pelos fãs, como “Amor Maior”, “Dias Melhores”, “Só Hoje”, “Na Moral”, “Encontrar Alguém” e “Fácil”, além de versões para “Tempos Modernos”, de Lulu Santos, e “Além do Horizonte”, de Roberto e Erasmo.

“Esse projeto, 'Acústico', foi um grande acerto, uma parada muito legal. Tecnicamente, evoluímos muito”, diz ele, antecipando o que a banda fará em 2020. “Serão 25 anos de Jota. Temos que comemorar!”

“É emocionante, faz tudo valer a pena” - Rogério Flausino, músico

AT2: Estão de volta a Vitória na sexta. É bom voltar?
Rogério Flausino: Muito bom! A gente está levando esse show para as capitais brasileiras e Vitória não poderia ficar de fora.

AT2: Quando a gente pede a saideira em BH não significa levantar da mesa....
(Risos) É verdade. Sempre vem mais uma e outra e outra. E tem sido assim com a turnê também. A gente realmente está tendo muita dificuldade de se despedir. Mas é bola para frente!

AT2: Há novidades no espetáculo “Saideira”?
Sim, a gente tem canções como “Tempos Modernos”, de Lulu Santos, “Além do Horizonte”, de Roberto e Erasmo, “Mania de Você”, de Rita Lee e Roberto de Carvalho, e “Todas as Janelas”, que é a mais recente.

Flausino e seus colegas também vão cantar hits de outros músicos, como “Tempos Modernos”, de Lulu Santos, e “Além do Horizonte”, de Roberto e Erasmo (Foto: Divulgação)
Flausino e seus colegas também vão cantar hits de outros músicos, como “Tempos Modernos”, de Lulu Santos, e “Além do Horizonte”, de Roberto e Erasmo (Foto: Divulgação)

AT2: As reações ao show são emotivas, não? Como é isso?
Total. Os primeiros shows do “Acústico” foram em teatros, com as pessoas sentadas, atentas somente às músicas mesmo. Isso é muito bacana. À medida que a turnê foi crescendo, a gente ganhou uma nova dinâmica. E teve de tudo. A galera pulando, as pessoas emocionadas... Coisas para levar para o resto da vida.

AT2: São muitas canções conhecidas e “Encontrar Alguém”, por exemplo, tem mais de 20 anos. Dá um orgulho danado ver a galera cantando?
Dá. Não tem como explicar como é a experiência de 25 anos de sucesso de uma música. Isso marca uma vida inteira. E você, depois desse tempo, é totalmente diferente do que você era quando começou a cantá-la. É emocionante, faz tudo valer a pena e enche a gente de energia.

​​​​​​​AT2: Há muito otimismo, amor e paz nas letras do Jota, não?
Acho que a gente compõe e escreve em cima do que a gente vive, em cima do nosso ponto de vista. E também acho que é dessa forma que a gente se comunica melhor.

Temos também letras divertidas, politizadas, contundentes, um pouco de tudo. Mas o que fica, depois de um tempo, são as coisas que marcam as pessoas com mais profundidade.

São as que falam de amor e de paz, como “Dias Melhores” e “Daqui Só se Leva Amor”. Tem muito amor na parada mesmo. Essas coisas me tocam.

​​​​​​​AT2: Você sempre teve sinergia com o público. Foi aprendendo ou é algo natural?
Eu comecei a cantar muito menino. Com 12 anos, eu já cantava. É o que eu sempre fiz. Você vai aprimorando, aperfeiçoando, vê os seus ídolos. Então, acho que é algo instintivo, porque eu aprendi fazendo. Ao mesmo tempo, tem a música, né? O ator tem o texto, o pintor tem a tela e a gente tem a música, tem o groove, a levada.


SERVIÇO:

“Saideira Acústico”
O quê:
Show de clássicos no encerramento da turnê “Acústico”, da banda mineira
Quando: Sexta-feira (11), às 22h
Onde: Espaço Patrick Ribeiro, no novo Aeroporto de Vitória, Mata da Praia
Ing.: R$ 1.000 (Mesa Ouro, com 4 lugares), R$ 900 (Mesa Prata, com 4 lugares), R$ 800 (Mesa Bronze, com 4 lugares) e R$ 70 (meia, Pista Premium)
Venda:
bilheteria do Espaço Patrick Ribeiro, Café do Mestre (ambos no novo Aeroporto) e site www.eventbrite.com.br
Clas.: 18 anos. Menores apenas acompanhados por maior responsável
Inf.: 99707-0714
Apoio: Rede Tribuna


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados