Esportes

Esportes

Rio Branco protocola pedido de impugnação da semifinal


Dr. Luiz Roberto Teixeira, assessor jurídico do Rio Branco, e o presidente do clube, Luciano Mendonça, com a reclamação protocolada na Federação (Foto: Henrique Montovanelli)
Dr. Luiz Roberto Teixeira, assessor jurídico do Rio Branco, e o presidente do clube, Luciano Mendonça, com a reclamação protocolada na Federação (Foto: Henrique Montovanelli)

O Rio Branco protocolou na tarde desta segunda-feira (15) um pedido de impugnação da segunda partida da semifinal do Capixabão, quando foi derrotado e eliminado pelo Real Noroeste, por 2 a 0. O clube capa-preta solicita vitória do Rio Branco por W.O, com consequente classificação da equipe para a final, e ainda ameaça acionar a Justiça comum na tentativa de paralisar o campeonato.

A petição protocolada será encaminhada ao presidente do TJD-ES, Dr. Roberto Maldonado, que irá analisar a reclamação e concluir se a mesma será ou não julgada pelo tribunal.

O clube capa-preta alega que a ambulância disponibilizada pelo mandante Real Noroeste, no estádio José Olímpio da Rocha, não tinha estrutura adequada para ser considerada uma UTI Móvel.

Sobre a ambulância, a súmula da partida, publicada na tarde desta segunda-feira, relata que antes do jogo o médico da partida verificou o funcionamento do aparelho desfibrilador, acompanhado pelas enfermeiras, pelo quarto árbitro e pela delegada da partida.

"A súmula é uma fraude. Estão mentindo e a gente tem como comprovar isso. Se a Federação cumprisse o regulamento, mas fizeram vista grossa como se nada estivesse acontecendo. Vamos entrar na Justiça comum. A gente quer que a Federação cumpra o regulamento, que não tenha jogo e que o Real Noroeste perca por W.O.", disse o presidente do Rio Branco, Luciano Mendonça, antes de protocolar a petição.

Após reunião com a diretoria capa-preta, o presidente da FES, Gustavo Vieira, comentou o caso.

"A ambulância que o clube fornece é a mesma de todo o campeonato. Inclusive o Rio Branco já jogou lá e conhecia a ambulância. Ela tem defibrilador sim, tanto é que foi testado, consta isso em súmula e tem fotos registrando que existe oxigênio e desfibrilador. Então, a ambulância, na avaliação do árbitro e do delegado da partida, atendia para aquela partida", disse Gustavo.

A diretoria capa-preta também reclama da arbitragem de José Wellington Bandeira, que assinalou pênalti em Vitinho, do Real Noroeste, no último lance do jogo. Robert acertou a cobrança e o resultado eliminou o Rio Branco, já que a vitória do time de Águia Branca por 1 a 0 levaria a partida para os pênaltis.

Aguardando a resolução do caso, o elenco do Rio Branco se reapresentou na tarde desta segunda-feira e treinou normalmente.

O Rio Branco convocou entrevista coletiva para às 18h desta segunda-feira para falar sobre as ações tomadas pela diretoria e pelo departamento jurídico do clube.