Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Ricardo Bacelar homenageia Belchior regravando a canção “Vício Elegante”, sua última letra inédita

Música

Ricardo Bacelar homenageia Belchior regravando a canção “Vício Elegante”, sua última letra inédita


Ricardo Bacelar, pianista e compositor  (Foto: Fernando Travessoni/Divulgação)
Ricardo Bacelar, pianista e compositor (Foto: Fernando Travessoni/Divulgação)
O pianista, compositor e arranjador Ricardo Bacelar lança agora a regravação da “Vício Elegante”, a última canção do cantor e compositor Belchior, que completaria 72 anos no último dia 26 de outubro, feita em parceria pelos dois.

O single está disponível nas plataformas digitais, e o vídeo, registrado em estúdio com direção de Nando Chagas, pode ser acessado no YouTube. Assista: 

O ano é de 1996. Belchior entra em estúdio para gravar o penúltimo disco de sua carreira. Para a direção musical e arranjos, a gravadora GPA convoca Ricardo Bacelar, sob a produção de Guti Carvalho.

A ideia era fazer um disco explorando o lado intérprete de Belchior. Ele e Bacelar estão à vontade: os dois são cearenses e já dividiram o palco algumas vezes. No repertório do álbum, Roberto Carlos, Adriana Calcanhoto, Caetano Veloso, Chico Buarque.

Para completar o repertório, Belchior propõe a Ricardo Bacelar que componham uma canção e, no estúdio, os dois trabalham incessantemente até criarem “Vício Elegante”, a última letra inédita gravada por Belchior, e que também acaba dando nome ao disco.

Vinte e dois anos depois daquela gravação, e um ano e meio após a morte de Belchior, Ricardo Bacelar homenageia o parceiro e amigo regravando esta canção que reúne muitos dos atributos do letrista Belchior, como o lirismo refinado e antenado com os anos 1990. Ouça a faixa aqui.

Para efetuar o registro, Bacelar convidou Delia Fischer para escrever o arranjo de cordas e produzir a gravação. Realizada no estúdio da Biscoito Fino, Delia reuniu uma orquestra com oito violinos, duas violas, dois violoncelos, um contrabaixo, juntamente com o piano e voz de Ricardo. Felipe Abreu fez a preparação vocal. O resultado é suave, poético e inspirador.

Bacelar guarda com carinho uma fita que registra o momento em que os dois trabalham na melodia. A amizade dos dois se iniciou em 1988, quando tocaram juntos pela primeira vez.

Ricardo Bacelar (Foto: Fernando Travessoni/Divulgação)
Ricardo Bacelar (Foto: Fernando Travessoni/Divulgação)
Bacelar trabalhou em alguns discos da gravadora de Belchior (Camerati). Belchior participou de uma faixa no primeiro disco solo de Ricardo Bacelar: “Tempos de Liberdade” (Ricardo Bacelar/Jorge Hélio Chaves), do álbum “in natura” (2001).

Ricardo Bacelar, que integrou o grupo carioca Hanoi Hanoi, lançou em 2018 o terceiro trabalho solo de sua carreira: “Sebastiana”.

Com uma vertente jazzística, o disco foi gravado e mixado em 2017 em Miami, nos Estados Unidos, nos lendários estúdios Hit Factory (Criteria) e Rebel 11.

Lançado em março de 2018 na América Latina, Japão, Europa e Estados Unidos, o álbum entrou na lista dos 50 discos mais tocados nas rádios de jazz norte-americanas em abril e durante 16 semanas ficou entre os 100 mais tocados. “Sebastiana” gravita em torno de uma releitura latino-americana de uma porção do repertório da música brasileira.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados