Regras básicas para ser um bom hóspede

Por Luciana Pimentel

 (Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

Nesta época de férias, é comum receber a visita de amigos e parentes. Uns vão embora logo, mas há aqueles que passam alguns dias na cidade e, geralmente para economizar, trocam o hotel e a pousada pela casa da família.

Pensando nessa situação, o AT em Família conversou com especialistas para saber quais são as atitudes positivas que tanto o anfitrião quanto o visitante devem tomar para tornar essa convivência harmoniosa e, de cara, é possível destacar um ponto: avisita é que deve se adequar à rotina do anfitrião, e não o contrário.

A consultora de imagem Janaina Gurgel explicou que não é elegante chegar com agregados e nem com animal de estimação sem avisar ao anfitrião. Também destacou que você não precisa levar nenhum mimo, mas soa gracioso.

“Isso faz com que o anfitrião já inicie a estadia se sentindo retribuído. Pode ser um chocolate, um vinho ou um adereço para a casa. Demonstra gratidão”.

Janaina lembrou ainda que a visita pode e deve colaborar com a limpeza. “Não significa que você vá fazer uma faxina. Arrume a cama, lave e estenda a própria roupa, tire a mesa e lave a louça de vez em quando. Se você contribui com a limpeza, o anfitrião sempre lembrará de você de forma positiva”.

E afinal, a visita pode colaborar com as compras? A consultora de etiqueta Georgia Vasconcellos garante que sim. “É sempre de bom tom o hóspede colaborar na limpeza e nas compras, essa é a boa educação. Não é de bom tom, por exemplo, sair da praia e ir jantar fora, mas sim convidar o dono da casa para ir também. Não dá para fazer a casa dos outros de hotel”.

Georgia esclareceu que a visita precisa ficar atenta à rotina dos donos da casa. “É você que tem que entrar no ritmo dos moradores da casa, não  o contrário. Tem que saber se portar, ter o bom senso de ser pontual e respeitar os horários dos anfitriões, comer e beber na medida certa. Entre e saia com educação e elegância”, frisou.

Na hora de ir embora, é interessante convidar os anfitriões para retribuir a estadia. “Por mais que não exista essa possibilidade, é educado agradecer a estadia e tentar retribuir”, destacou Janaina Gurgel.