Entretenimento

Entretenimento

Reflexão sobre o futuro em exposição


Refletir sobre o mundo e sua participação nele para o futuro. Mas não se trata de um futuro distante. A ideia gira em torno de algo próximo. Quase amanhã. Essa é a proposta lançada por seis artistas nacionais com a exposição “Museu dos Futuros Possíveis”,  no Sesi Arte e Galeria, em Santa Lúcia, Vitória, até o dia 20 de janeiro, com curadoria de Paulo Miyada, com visitação gratuita.

Exposição “Museu dos Futuros Possíveis” (Foto: Nayara Pontes)
Exposição “Museu dos Futuros Possíveis” (Foto: Nayara Pontes)
“Essa mostra retrata o presente, uma circunstância do agora, de olho no futuro. Ao contrário dos museus tradicionais, que trabalham com passado, com memória. Por meio de inovações, a arte provoca uma reflexão sobre o amanhã, apesar de ser um futuro imprevisível. E isso tudo acontece por meio da fotografia, vídeos, instalações, interagindo com o público”, explica Carolina De Angelis, do Instituto Tomie Ohtake.

Com entrada franca, a mostra de arte contemporânea tem curadoria de Paulo Miyada, do Tomie Ohtake, e arte de Camila Sposati (paulista que mora em Paris), Eduardo Kac (carioca que reside em Nova Iorque), Gabriela Bilá (DF), Pedro França (carioca que vive em São Paulo) e da dupla paulista Gisela Motta e Leandro Lima.

Camila Sposati exibe desenhos de rochas. Já Pedro França mostra vídeo. Gisela e Leandro trazem óculos com realidade virtual. Eduardo Kac leva o transgênico para sua arte, com mistura de planta e homem, resultando em nova forma de vida.