search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Rachaduras nos pés
Doutor João Responde

Rachaduras nos pés

A saúde dos pés implica condição fundamental para o movimento e o equilíbrio do corpo humano.

Os pés, além de manter o corpo em posição bípede, peculiaridade sobre a qual o homem desenvolve sua mobilidade, realizam outras funções, como amortização e bombeamento para o correto retorno venoso do sangue; absorvem as vibrações de cada passo, evitando possíveis repercussões nas articulações superiores, como a dos joelhos, dos quadris, da escápula, que, por sua vez, facilitam a irrigação sanguínea; sustentação e locomoção.

A pele do pé é grossa, podendo espessar-se ainda mais em forma de calos, calosidades, irritações, etc. Ela está firmemente unida à tela subcutânea por grossas faixas fibrosas que delimitam as bolsas de gordura, que são importantes estruturas para a sustentação.

As linhas da epiderme, conhecida como cristas papilares, forma, na planta dos pés, impressões plantares semelhantes às digitais, podendo ser usadas como meio de identificação.

Nas plantas dos pés e nas palmas das mãos não existem pelo, por tal motivo não possuem as glândulas sebáceas que são responsáveis pela lubrificação do tegumento. Em virtude disso, a pele tende a ser ressecada, necessitando assim de uma atenção maior no que se diz respeito à hidratação e proteção.

Os pés são partes do corpo que têm camadas de peles com maior resistência do que em outras localizações e são mais grossas, devido ao peso do corpo que recai sobre eles.

Para compreender melhor como surgem rachaduras nos pés, torna-se necessário saber que a pele é formada por três camadas: epiderme, derme e hipoderme.

A epiderme corresponde à camada externa. No caso dos pés, quando essa camada sofre alguma agressão por fatores externos, como o ressecamento ou o atrito com calçados, ocorre o acúmulo de queratose, sendo resultado de uma reação de engrossamento cutâneo.

Esta reação é comum em razão de uma defesa natural que possui o objetivo de proteger as camadas internas da pele contra a ação de fatores externos. É aí que surge o problema das rachaduras nos pés, que são decorrentes do aparecimento de fissuras na pele, principalmente no calcanhar.

Doenças nos pés são denominadas podopatias, e a que mais se destaca, especialmente no sexo feminino, onde a incidência é maior, são as fissuras calcâneas, também conhecidas por rachaduras, caracterizadas por lesões lineares ou estreitas da pele.

As lesões lineares são decorrentes de espessamento, endurecimento e perda da elasticidade da pele, fazendo-a abrir e trincar.

Em função da espessura, podemos observar vários tipos de fissuras calcâneas; algumas com lesões superficiais e outras acometendo tecidos mais profundos, ocasionando sangramento, por ocasião de espessamento e endurecimento da camada superficial da pele.

Existem várias causas de fissuras calcâneas, como andar e pisar incorretamente, fatores hereditários, frio, calor, baixa hidratação, diabetes mellitus, pele ressecada e sem sensibilidade, alterações vasculares, complicações da psoríase, micoses, agressões químicas, andar descalço, uso de sandálias abertas nos calcanhares, etc.

O calcanhar, por receber, além do atrito, maior pressão do corpo, é a parte mais afetada.

Nos casos mais complicados, as fissuras poderão sangrar, tornando-se muito dolorosas, havendo risco de contrair infecções bacterianas, em função do contato dos pés pisando no chão.

Os pés não deverão ser lixados em nenhuma situação, pois ficarão com a pele delgada, agravando as fissuras. O organismo entende tal conduta como uma agressão e trata de se proteger, formando mais queratose.

Saúde não é a lapidação estética da casca, mas sim a regeneração intrínseca do fruto.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

Nossa memória imunológica

Quase ninguém se recorda da última vez em que ficou doente por conta de uma infecção microbiana, mas o sistema imune lembra bem desse momento da vida, assim como de vários outros anteriores. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Esses malditos vírus

Nada garante a saúde permanente do ser humano. Por mais que a vida seja protegida, nada assegura a manutenção da tranquilidade do amanhã. Por esse motivo, a ciência toma conclusões como verdades …


Exclusivo
Doutor João Responde

Maconha não é droga inofensiva

Quando aquele jovem apareceu no consultório, eu já sabia boa parte da história que ele iria me contar. Preocupada, sua mãe havia ligado antes, me passando algumas informações a seu respeito. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Minha vesícula encheu de pedras

Semanas após ter sido encaminhada para extrair a vesícula biliar, a paciente retornou ao meu consultório. Satisfeita, ela afirmou: “Minha cirurgia foi um sucesso, doutor”. Nada lembrava a …


Exclusivo
Doutor João Responde

Estou magro, mas sou gordo

Doze meses após se consultar comigo, o paciente reapareceu. Lembro-me quando ele chegou pela primeira vez. Lá estava, diante de mim, um adiposo jovem, carregando lipídios, complexos e desânimo. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Idoso não deve morar sozinho

Amparado pelas filhas, um senhor de idade avançada entrou na minha sala e, com certa dificuldade, sentou-se na cadeira. Eu perguntei: O que posso fazer pelo senhor? Como ele se manteve silencios…


Exclusivo
Doutor João Responde

Ainda bem que envelhecer não dói

Agora que meu espírito amadureceu, meu corpo começou a envelhecer, lastimou um grisalho senhor. É verdade. A vida é curta, os sonhos são fugazes, as crises são duradouras, as decisões são difíceis, …


Exclusivo
Doutor João Responde

Como não enjoar navegando no mar

Minha pergunta é bastante objetiva, expôs um paciente ao entrar no meu consultório: Existe algo que eu possa fazer para evitar o vexame de correr em direção à amurada da embarcação e “deitar cargas …


Exclusivo
Doutor João Responde

Doença como forma de protesto

Quando aquele casal entrou no consultório, eu não imaginava que os sintomas, descritos por ambos, revelavam uma linguagem cifrada para um se queixar do outro. Mal iniciei a consulta do marido, a …


Exclusivo
Doutor João Responde

“Não posso ficar doente, doutor!”

Há mais de três décadas, eu venho observando os olhares aflitos de alguns doentes, quando confrontados com a realidade da doença. Adoecer significa sair da ativa, tendo em vista que “paciente” quer …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados