search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Questão de ponto de vista
Painel da Folha de São Paulo

Questão de ponto de vista

Muito criticada por setores do Ministério Público Federal e pelos lavajatistas que compõem a base de Jair Bolsonaro, a indicação de Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República foi bem digerida pelas cúpulas do Congresso e do Judiciário.

Nomes que torciam pela recondução de Raquel Dodge avaliaram que Aras está longe de ser, para eles, uma escolha ruim. Aliados do subprocurador já começam a traçar a rota da romaria pelo Senado: ele irá aos 81 gabinetes pedir votos.

Emoções vivi - Aras acompanhou os últimos lances de sua indicação em casa, acompanhado de cinco pessoas. Demonstrou mais alívio do que euforia ao receber o telefonema que sacramentou sua escolha. Ele conversou diretamente com o presidente por dias, mas só nesta quinta (5) teve certeza de que havia vencido.

Cansado de guerra - O caminho até o anúncio foi acidentado. Aras despontou na corrida para o posto sem participar da eleição interna do MPF, o que irritou a categoria e a Lava Jato, e foi bombardeado por bolsonaristas por ter tido boa relação com nomes da esquerda anos atrás. Nesta quinta (5), dizem amigos, parecia exausto.

Com cerimônia - A ordem dos aliados de Aras foi de discrição. O subprocurador quer passar mensagem de respeito ao rito e ao Senado, que precisa sacramentar a escolha de Bolsonaro em votação.

A bola é sua - Entre os integrantes do MPF que apoiam a lista tríplice o clima era realmente de funeral. Muitos nem sequer conseguiam dimensionar a reação da categoria. Procuradores dizem que quem vai ditar o volume da reação interna é o próprio Aras.

A bola é sua 2 - Se ele mantiver o tom que adotou na campanha, de críticas ao corporativismo, e ensaiar nomeações discricionárias para cargos hoje escolhidos após disputa interna, a tendência é a temperatura subir.

Figurinha carimbada - Aliados de Augusto Aras apostam que o futuro PGR promoverá Ailton Benedito, do MPF de Goiás, a cargo de confiança. O procurador bolsonarista ganhou notoriedade ao defender nas redes que o nazismo foi um movimento de esquerda, tese rechaçada por todos os historiadores sérios.

Não curti - O Planalto monitorou a reação da internet ao nome de Aras –e se surpreendeu com o volume das críticas.

Não passarão - Dos 19 vetos de Bolsonaro à lei que pune o abuso de autoridade, três, em especial, incomodaram o Congresso: os dos artigos 9º, 30º e 38º. O de número 43, que tira prerrogativas da advocacia, também não fez sucesso.

Não passarão 2 - A amplitude do gesto do presidente foi vista como quebra de acordo, e a ideia de líderes de partidos na Câmara é trabalhar pela derrubada global dos vetos, e não apenas pelos quatro itens que bateram quadrado no Legislativo. Bolsonaro, de início, havia sinalizado que só faria concessões às polícias.

Em mãos - O ex-presidente da ABDI, Guto Ferreira, afirma que entregará evidências de suas acusações contra o secretário especial do Ministério da Economia, Carlos da Costa, ao Ministério Público na segunda (9). Ferreira diz ter reunido, por meses, mensagens que mostrariam que o secretário tentou usar
indevidamente recursos do Sistema S.

RSVP - "As criaturas do pântano político que o ministro disse que vai perseguir estão mais perto do que ele imagina", afirma Ferreira, usando expressão criada pelo próprio Guedes para criticar os governos do PT.

Dívida histórica - O relator da reforma da Previdência no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), decidiu retirar do texto proposta que previa cobrança de contribuição previdenciária de anistiados políticos. Os aliados do presidente chamam pejorativamente as indenizações de "bolsa-ditadura".

Dívida histórica 2 - A cobrança de contribuição dos anistiados chegou ao Congresso pela equipe econômica do governo, mas Tasso considerou que se tratava de retaliação. Além disso, avaliou, isso poderia suscitar questionamentos jurídicos.

Dívida histórica 3 - "Nesta reforma, discutimos o futuro, não o passado", escreveu o senador em seu relatório.

TIROTEIO

"A aparente predileção dele por ofender familiares dos que resistiram à ditadura está unindo os democratas do continente."

Do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, após o ataque de Bolsonaro à ex-presidente do Chile, cujo pai foi assassinado no regime Pinochet.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Mesmo lado

Líderes e presidentes de partidos da centro-direita dizem, nos bastidores, ser um excesso o pedido de apreensão do celular de Jair Bolsonaro no inquérito que apura as denúncias de Sergio Moro. …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Sinais

A suspeita de vazamentos de inquéritos sigilosos da Polícia Federal para o entorno do Presidente não se restringe ao caso de Flávio Bolsonaro. Relatório da investigação de candidaturas de laranjas em …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Corrente

A disseminação reiterada de informações falsas, muitas delas com ataques a autoridades, e as ameaças do presidente da República de desdenhar de ordens judiciais fizeram ministros do Supremo se unir …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Trajetória

Alvo da Polícia Federal, a primeira-dama do Rio, Helena Witzel, tem parca experiência como advogada. Um contrato de R$ 540 mil do escritório dela com uma empresa investigada na Lava a Jato do Rio é …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Sinuca

Pivô da crise entre Sergio Moro e Jair Bolsonaro, a Polícia Federal se encontra em uma situação delicada. Com a responsabilidade de apurar as acusações do ex-ministro da Justiça, a PF se vê em risco …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Dupla dinâmica

Os ataques de Jair Bolsonaro ao STF têm na mira principalmente dois ministros, Alexandre de Moraes e Celso de Mello, que o Presidente elegeu como inimigos próprios. Ontem, Bolsonaro compartilhou um …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Em série

Além de mostrar a tentativa de interferência indevida na Polícia Federal para proteger amigos e família, a reunião ministerial revelou ação semelhante de Jair Bolsonaro no Iphan, responsável por …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Inteligência

A declaração de Jair Bolsonaro, dada na sexta (22) à rádio Jovem Pan, para tentar justificar o que seria seu sistema particular de informações foi considerada um tiro no pé por advogados criminalista…


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

De onde veio

Virou mistério para integrantes do Ministério da Saúde o responsável pela nomeação de Zoser Hardman de Araújo para o cargo de assessor especial do ministro. Causou mais estranheza o fato de ele ser …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Ritmo de festa

Um dos nove militares nomeados por Jair Bolsonaro para o Ministério da Saúde na terça-feira, Giovani Camarão, futuro coordenador de Finanças do Fundo Nacional de Saúde, publicou foto nas redes …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados