search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Quem tem medo de robô
Tribuna Livre

Quem tem medo de robô

Em recente entrevista, o presidente da OAB Nacional, Felipe Santa Cruz, apresentou previsão de que “em cinco anos este mercado não vai conseguir absorver todo mundo”.

A matéria citou, ainda, dados estatísticos do alto número de cursos de Direito, da elevada proporção de advogados por cidadão, das consequências da informatização dos processos e da implantação de sistemas específicos de atuação profissional, revelando ainda que escritórios de advocacia hoje conseguem atuar em diversas cidades, em maior número de processos e com menor número de advogados, utilizando-se de robôs.

Contudo, sempre há mais de uma forma de se enxergar os cenários. É clássica a história de dois vendedores de sapatos que chegaram a um país muito pobre em que a maioria da população não usava calçados. Um deles caiu em desespero pois entendeu que não havia mercado para trabalhar. O outro, com olhar completamente diferente, enxergou um mercado imenso à disposição: a maioria precisava comprar sapatos. Desnecessário dizer qual dos dois prosperou. 

O atual cenário brasileiro não é diferente, inclusive para a advocacia. Contra fatos e números não há argumentos, mas coragem, persistência, alta formação técnica e empreendedorismo geram oportunidades, sucesso, realização e felicidade. Na verdade, nunca foi fácil. Guardadas as proporções, nunca foi muito diferente.

Em cada época os obstáculos eram diversos, as ameaças distintas e as oportunidades igualmente diferentes, mas sempre houve um caminho árduo a se percorrer para se alcançar uma meta. E os que fizeram diferente, tiveram foco e destemor venceram. Nada substitui o talento, também já se disse. Principalmente na advocacia.

Um oceano de oportunidades se abre com a advocacia 4.0, com o atual estado político e institucional pelo qual atravessa o país, com os sintomas que a economia atualmente apresenta;  com as reformas constitucionais que o Governo Federal vem realizando e anuncia que realizará, com os novos segmentos da economia e muitos outros.

Robôs podem fazer petições repetitivas, a Inteligência Artificial  pode selecionar precedentes e sugerir caminhos, mas é o talento, a argúcia, a experiência do advogado e da advogada que dão à atuação o diferencial humano insuperável, a independência da pasteurização e da perigosa linha de produção, como se defesa de liberdades, de direitos, de interesses, fossem simples fábrica de réplicas. Robô não sente a angústia do cliente, não percebe a necessidade de combater injustiças, não sente nada; e advocacia sem emoção não é advocacia. 

Não condeno números nem dados, mas repudio pessimismo e conformismo. A advocacia precisa de relevância, de destaque, de lideranças construtivas, de capacidade de interação com economia, de empreendedorismo, de especialização, de atualização, de densidade científica e da percepção talentosa que só o ser humano é capaz de propiciar. 

Ao encontrar uma pedra na subida, ela pode ser um obstáculo ou um degrau. A escolha é de cada um.

Carlos Augusto da Motta Leal é advogado, especialista em Direito Civil, Direito Processual Civil, Imobiliário e Sucessório e professor de Direito Civil.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

O custo socioeconômico da “imobilidade” urbana no Brasil

Um estudo realizado pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) mostra que o custo socioeconômico da “imobilidade” urbana no Brasil cresceu 7% em um ano e se aproxima de meio trilhão de …


Exclusivo
Tribuna Livre

A engenharia muda o mundo e está em tudo o que nos cerca

Com o ritmo acelerado da vida contemporânea, quase nunca nos sobra tempo para refletir sobre o mundo a nossa volta. Mas, se pararmos para pensar, concluímos que a engenharia está em tudo o que nos …


Exclusivo
Tribuna Livre

Ineditismo e vanguarda: o Marco Regulatório das Startups

Foi publicada, no último dia 26 de novembro, a Lei Complementar Estadual nº 929/2019, de iniciativa do Governador do Estado, que institui instrumentos e procedimentos para o fomento às parcerias …


Exclusivo
Tribuna Livre

Sábio é quem aprende com a experiência alheia

Na semana passada, tivemos por aqui, nos Estados Unidos, a celebração do famoso feriado de Thanksgiving (Dia de Ação de Graças, destinado a agradecer a Deus os bons acontecimentos do ano). Aproveitam…


Exclusivo
Cidades Tribuna Livre

É preciso priorizar a mobilidade das pessoas e não dos veículos

Todos querem viver numa cidade que ofereça uma boa qualidade de vida. Para tanto, faz-se necessário compreendermos a “mobilidade peatonal”, reconhecendo os pedestres nos planejamentos estratégicos …


Exclusivo
Tribuna Livre

Por que o Tribunal de Contas deu certo

O Tribunal de Contas do Espírito Santo completou 62 anos de existência em 2019. Por desairosa que seja, a verdade é que, ao longo do tempo, consumiu imensos recursos públicos em ajustes políticos que …


Exclusivo
Tribuna Livre

Os jogos precisam ser legalizados no Brasil

O ano era 1946. No dia 30 de abril, foi publicado o Decreto Lei 9215 que proibiu os (erroneamente) denominados jogos de azar. Os fundamentos da proibição? Que a repressão aos jogos de azar é um …


Exclusivo
Tribuna Livre

O ônus do Judiciário e o Legislativo que joga para a plateia

Não é a primeira vez, e certamente não será a última, que vivenciamos certas articulações, no núcleo do poder, com o objetivo, simplesmente, de tentar limpar imagens manchadas e acalmar os ânimos da …


Exclusivo
Tribuna Livre

Comer bem para viver bem

Mesmo antes das muitas descobertas científicas que revolucionaram o entendimento sobre o funcionamento do corpo humano; a correlação entre alimentação, atividades físicas e condições de saúde já era …


Tribuna Livre

Raízes capixabas de Ayrton Senna

Ayrton Senna da Silva marcou nossas manhãs de domingo e fazia-nos sentir mais brasileiros, numa época de muito descrédito com o país, por sua ousadia, destreza e espírito de campeão. Tornou-se ídolo …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados