Entretenimento

Para Ler

Quem é Carolina Maria de Jesus, homenageada pelo Google nesta quinta?


 (Foto: Reprodução/Acervo Instituto Moreira Salles)
(Foto: Reprodução/Acervo Instituto Moreira Salles)

Uma das escritoras mais importantes do Brasil, mulher negra e favelada, Carolina Maria de Jesus está sendo homenageada pelo Google, nesta quinta-feira (14). Ela ficou mais conhecida pelo livro "Quarto de Despejo: Diário de uma Favelada", publicado em 1960. Ela faria 105 anos hoje.

Carolina foi descoberta pelo jornalista Audálio Dantas, nos anos 50. Ele a conheceu durante a apuração de uma reportagem sobre a rotina em uma favela. A escritora é mineira e se mudou para a Favela do Canindé, em São Paulo, em 1947, lá ela trabalhou por anos catando papel e latinhas.

Em entrevista ao jornal O Globo, em 2014, o jornalista falou sobre Carolina. “Ela falava alto, dizia que ia botar o pessoal no livro. Aí quis saber qual era o livro. Então, ela me mostrou os cadernos dela no barraco. No meio, tinha esse diário, que me chamou atenção. Era de uma força muito grande e fazia uma reportagem sobre a favela que nenhum repórter poderia fazer”.

 (Foto: Reprodução/Revista O Cruzeiro)
(Foto: Reprodução/Revista O Cruzeiro)

O jornalista publicou trechos de seus mais de 20 cadernos, na edição de 9 de maio de 1958, do jornal Folha da Noite. O título era "O drama da favela escrito por uma favelada". A matéria teve uma grande repercussão, seguida de uma outra matéria feita pela revista "O Cruzeiro", publicada em julho do ano seguinte.

Com Carolina no radar de todos, Audálio começou a receber pedidos de que um livro fosse lançado. Então, ele compilou todos os diários e publicou as partes mais instigantes. Os 10 mil exemplares da primeira edição venderam em uma semana, batendo os recordes da época.

A obra foi traduzida para 16 idiomas e comercializada em mais de 40 países. Carolina morreu em decorrência de uma insuficiência respiratória, em São Paulo, no ano de 1977. Antes disso, ela publicou mais seis livros:

  • Asa de Alvenaria (1961);
  • Pedaços de Fome (1963);
  • Provérbios (1963);
  • Diário de Bitita (1982);
  • Meu Estranho Diário (1996);
  • Antologia Pessoal (1996).

Para ver o doodle, basta entrar na página principal do Google.