search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Qual a sua toga?
Tribuna Livre

Qual a sua toga?

A revolução francesa legou àquele país uma cultura política refratária ao Poder Judiciário. Ainda hoje, os salários dos seus juízes são baixos e a jurisdição constitucional é feita por órgão político que não compõe o poder judicial.

A origem dessa tradição se sustenta na visão revolucionária de que os juízes são força conservadora associada ao poder do antigo regime, pré-revolucionário. Com efeito, a jurisdição, baseada no devido processo legal, é força conservadora pois, enquanto a massa raivosa e revanchista grita prenda, condene, aumente a pena, o juiz responderá que não antes do processo.

Esta é uma força que as constituições sucessivas, ainda que desconfiadas, tiveram a sabedoria de preservar. Foi uma maneira de garantir as instituições públicas e os direitos individuais contra o calor dos momentos críticos da sociedade.

No Brasil, não houve tamanha reticência quanto ao Poder Judiciário. Os constituintes acreditaram que o próprio contexto político seria suficiente para estabilizar e harmonizar as relações entre os poderes.

De fato, com a Constituição de 1988, o Poder Judiciário perdeu muito de sua proeminência política em razão do seu histórico de amabilidade com o regime militar.

Já o Poder Legislativo foi prestigiado pelos novos ares democráticos e liberais em que se celebrava a primazia da soberania popular. Entretanto, o passar do tempo lhe foi inclemente.
Anos de desgaste do Parlamento, entre casos de corrupção e evidências de acordos políticos de intenções maliciosas, fizeram com que a democracia parlamentar fosse perdendo prestígio e dimensão política.

As guerras intestinas entre parlamentares contribuíram para a degradação do Legislativo, cujos titulares dependem da ruína dos outros para conseguir angariar votos e permanecer no poder.

Ao contrário, o Poder Judiciário envelheceu bem. Como os juízes não competem, são muito corporativistas e têm uma estrutura administrativo-burocrática muito mais obscura, ficaram relativamente imunes a escândalos.

Em política, espaços não ficam vazios. O Poder Judiciário apropriou-se do prestígio político que o Parlamento tivera. A lei, domínio primário do legislador, foi substituída pela sentença, domínio do magistrado. E, a cada dia, mais e mais, o Poder Judiciário se embebedou no vinho mau do moralismo barato, de conveniência e exibicionismo, que matou a lei e a substituiu pelo populismo judicial.

Grande parte da magistratura se deslumbrou com a exibição das sessões na internet, com homenagens e com entrevistas em televisão.

O apogeu desta patologia foi a operação Lava Jato, que não foi econômica em prisões, vazamentos seletivos de informações e militância política, sem qualquer apego à legalidade, que apenas foi utilizada para fundamentar precariamente decisões impregnadas de populismo moralista.

É certo que ainda há juízes em Berlim, mas o espetáculo se apoderou de grande parte da jurisdição. Há, hoje, dois tipos de toga no Brasil.

Uma, que julga segundo as leis. Outra, que julga segundo os ventos do populismo. O futuro da jurisdição não depende apenas dos juízes, mas, especialmente, do que a sociedade quer para si.

Sérgio Lievore é auditor de Controle Externo do Tribunal de Contas do Espírito Santo. 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

A explosão no Porto de Beirute e a sobrevivência no Líbano

Não fosse a explosão do Porto de Beirute uma tragédia em si, as condições a que estava submetido o Líbano, seja do ponto de vista econômico, dada a crise financeira expressa na desvalorização de 80% …


Exclusivo
Tribuna Livre

A violência doméstica durante a pandemia

Devido ao isolamento social na pandemia da Covid-19, houve um aumento da violência doméstica. A Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006 – que completa 14 anos hoje –, mais conhecida como Lei Maria da …


Exclusivo
Tribuna Livre Nutridicas

Cuidados com a alimentação para manter a saúde do paizão

Os homens estão cada vez mais cuidando da sua beleza, mas... e com relação à saúde, como estão? Será que estão tão ligados assim? Não há como negar que os cuidados com a saúde devem estar presentes …


Exclusivo
Tribuna Livre

Privatização do Porto de Vitória volta a ser discutida

A privatização do sistema portuário capixaba voltou a ser pautada. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que em outubro, provavelmente, será realizada uma consulta pública para a …


Exclusivo
Tribuna Livre

Afastem-se logo dos milagreiros tributários

Em meio à grave crise econômica que assola o Brasil e o mundo, empresas se veem cada vez mais descapitalizadas e diante de uma equação que leva à pena de morte: inadimplência e custos cada vez mais …


Exclusivo
Tribuna Livre

Cuide da saúde do seu coração durante o isolamento social

Nesses tempos de distanciamento social, quem possui alguma doença cardiovascular deve redobrar a atenção com a saúde. De acordo com dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, as …


Exclusivo
Tribuna Livre

Mudanças de hábito valorizam a importância do papel

As embalagens estão cada vez mais no radar das empresas. Seja papel cartão, papelão ondulado ou nos moldes de leite longa vida, as embalagens de papel têm se tornado a menininha dos olhos no mundo …


Exclusivo
Tribuna Livre

A sociedade precisa saber mais sobre a agricultura familiar

Não há governante que, nos dias atuais, consciente do seu papel, não compreenda a necessidade de se investir num setor tão importante para o povo brasileiro. Muito se fala em manutenção do homem …


Exclusivo
Tribuna Livre

Novos modos de vida e a “economia de baixo contato”

Enquanto algumas tendências sinalizam movimentos socioculturais ou respostas para os desafios globais persistentes, outras emergiram do contexto específico da pandemia da Covid-19. A tendência da …


Exclusivo
Tribuna Livre

Trezena de Santo Antônio muda de data sem perder a vocação

Há quase oito décadas, com festivas solenidades, é pela primeira vez que a Trezena de Santo Antônio deixou de acontecer nos 13 dias do mês de junho, na Paróquia e Santuário-Basílica, em Vitória. A …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados