Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Prioridade para idosos negada no PA de Alto Lage
Qual a Bronca?

Prioridade para idosos negada no PA de Alto Lage

O Pronto Atendimento de Alto Laje adotou novo protocolo de atendimento, priorizando casos mais graves (Foto: Dayana Souza / AT)
O Pronto Atendimento de Alto Laje adotou novo protocolo de atendimento, priorizando casos mais graves (Foto: Dayana Souza / AT)

“No Pronto Atendimento de Alto Laje, o atendimento está muito ruim. Eles não dão preferência de atendimento aos idosos e gestantes. Priorizam os mais jovens, o que é totalmente, contrário à legislação”, denuncia o aposentado João Batista Melo Vitorazzi, que reside no bairro Jardim América, em Cariacica.

Segundo ele, outro problema é a infraestrutura, que é caótica.

“O espaço é pequeno, não há cadeiras para todos na recepção e, na área interna os pacientes ficam sentados no chão à espera de atendimento, pois não há macas nem cadeiras para todos”.

João relata que no dia 30 de maio chegou ao local às 11 horas e só saiu de lá às 19h30. A médica pediu um raio-x e prescreveu medicação venosa e nebulização, que demorou a ser feita, porque só havia uma pessoa para atender a quatro salas.

João disse que independente deste protocolo, a legislação brasileira prevê prioridade no atendimento para os idosos
João disse que independente deste protocolo, a legislação brasileira prevê prioridade no atendimento para os idosos
Respostas

A Secretaria de Saúde de Cariacica informa que as cadeiras foram trocadas no mês de março, mas houve atos de vandalismo. No PA de Alto Lage, ao todo, são 43 clínicos e 27 pediatras. Dos convocados no último processo seletivo, 14 se apresentaram e, desses, três são pediatras.

Esclarece que desde o dia 22 de junho a unidade passou a adotar a classificação de risco, de acordo com o protocolo de Manchester, que é mundial.

Assim, a pulseira vermelha requer atendimento imediato e sem espera; a laranja, é muito urgente, com atendimento em no máximo 10 minutos; o amarelo é urgente, mas não considerado emergência, com espera de até 50 minutos; o verde é pouco urgente, com previsão de 120 minutos e o azul não é urgente e a espera pode ser de até 240 minutos.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados