search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Prevenção da osteoporose
Nutridicas
Gabriela Rebello

Gabriela Rebello


Prevenção da osteoporose

O Dia Mundial de Prevenção à Osteoporose, que atinge principalmente mulheres após a menopausa e idosos de ambos os sexos, é celebrado no próximo domingo. A osteoporose é uma doença crônica, multifatorial e assintomática, que ocorre quando há uma diminuição progressiva da massa óssea, fazendo com que os ossos se tornem frágeis e propensos às fraturas.
O que muitos não sabem é que para a manutenção de um esqueleto saudável, as medidas de prevenção devem ser feitas nos primeiros anos de vida, perdurando durante toda infância, adolescência e maturidade, para que, ao chegar na fase em que não se adquire mais massa óssea, isso não vire um grande risco à saúde, chamado osteoporose.

Dentre as medidas de prevenção, destacamos: exercícios regulares, evitar consumo excessivo de álcool, tabagismo, manutenção de um peso saudável e, claro, manter uma alimentação rica em nutrientes benéficos para os ossos, principalmente com alimentos ricos em cálcio, vitamina D e magnésio.

Pegue papel e caneta e anote quais são os alimentos que não podem faltar no cardápio.

Uma dieta rica em cálcio e proteínas ajuda a manter os ossos fortes e saudáveis. Quando o assunto é osteoporose, o leite e seus derivados são logo lembrados.

Apesar de ser uma importante fonte de cálcio para o organismo, abuse também de couve, rúcula, agrião, brócolis, almeirão, espinafre e outros e vegetais folhosos verde-escuros; leguminosas como feijões, ervilha, lentilha, grão-de-bico e outros; leguminosas como castanha-do-pará, de caju, nozes, macadâmia e outras; além da gema de ovo, bife de fígado, peixes; sementes de girassol, de gergelim e de abóbora.

Ou seja, esqueça as dietas restritivas, o modismo, as lendas de que o leite engorda ou que a lactose é alergênica. O consumo deve ser monitorado e em quantidades adequadas. Segundo a Organização Mundial da Saúde devemos manter três porções de leite e derivados, como queijo e iogurtes por dia.

Mas atenção! Deve-se também evitar consumir alimentos ricos em cálcio acompanhados de alimentos ricos em ferro, porque a absorção tanto do ferro como do cálcio não será eficaz.
Por exemplo, deve-se evitar o consumo de produtos lácteos, como iogurtes ou pudim de sobremesa nas refeições principais, como almoço e jantar.

É também importante controlar a ingestão de sal e cafeína (o guaraná, chá-preto e o refrigerante à base de cola), que embora não prejudiquem a saúde óssea, seu consumo exagerado pode levar a um aumento das perdas de cálcio pela urina.

É importante lembrar que a solução para uma longevidade saudável com redução dos problemas por ela acometidos é ter boa qualidade de vida, incluindo atividade física, banho de sol diário e hidratação na medida certa, alimentação equilibrada e variada, com mais alimentos naturais, preparados de forma simples, evitando os alimentos ultraprocessados e aditivos químicos e respeitando a individualidade de cada pessoa.

Dicas anotadas? Encontro vocês na próxima semana!

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados