Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Precisávamos de um Brasil x Argentina
Papo do Dias
Flávio Dias

Flávio Dias


Precisávamos de um Brasil x Argentina

Coutinho, discreto, comemora com Alisson e Gabriel Jesus a vaga na semifinal (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Coutinho, discreto, comemora com Alisson e Gabriel Jesus a vaga na semifinal (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Teremos Brasil x Argentina na semifinal da Copa América! E eu digo: que ótimo! Precisávamos desse clássico! A Seleção Brasileira, que eliminou o Paraguai graças a Alisson e Gabriel Jesus nos pênaltis, tem nas mãos a chance (mais uma) de entrar em sintonia com o torcedor, de provar que ainda é legal torcer pelo time canarinho, cada vez mais distante do seu povo.

Fosse a semifinal contra a Venezuela, o apelo não existiria. No lugar dele, haveria de novo a obrigação de vencer bem e avançar à final. E, não duvido, haveria novas vaias para mais um placar decepcionante. Porque tem sido assim na imensa maioria dos jogos da Seleção no período pós-Copa.

Contra a Argentina, a obrigação não existe. Mas existe o "algo a mais" que tira os jogadores da zona de conforto. E pode ser isso que anda faltando ao Brasil de Tite.

Cebolinha. E só

A única zona de conforto saudável até agora para a Seleção na Copa América é Everton na ponta esquerda. O Cebolinha é o responsável pelo improviso, pelo drible, por desmontar o gesso do time. Ganhou a posição e o carinho da torcida.

Mas é pouco. O restante tem sido mais do mesmo. Willian até entrou bem contra o Paraguai, mas é aquilo ali e pronto. Philippe Coutinho prefere não ser o protagonista do time. O Brasil tem posse de bola e troca de passes, mas não tem criação. Finaliza muitas vezes, mas leva pouco perigo real.

Problemão

Daniel Alves ainda é o melhor lateral-direito brasileiro? (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Daniel Alves ainda é o melhor lateral-direito brasileiro? (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
O principal armador da Seleção Brasileira, ou construtor na linguagem dos "doutores", é o Daniel Alves. Que não é lateral há muito tempo. Fecha sempre pelo meio, mas não tem cacoete de camisa 10 - nem mesmo de camisa 8.

A lateral direita, por sinal, é um problemão. Se Daniel Alves, veterano e já sem guardar posição, ainda é o melhor da posição, o que teremos à disposição na Copa de 2022? Quem são as opções mais jovens?

Para o outro lado, a renovação parece mais clara. Não falo de Alex Sandro, que faz o básico sempre que tem chance. Mas Jorge, do Santos, e Renan Lodi, do Athletico/PR, já poderiam aparecer nas convocações.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados