Notícias

Ciência e Tecnologia

Portugal vai ter o primeiro porto espacial para satélite


Satélite: expectativa é fornecer um serviço de baixo custo para o lançamento de satélites de até 500 quilos (Foto: Divulgação / Raytheon)
Satélite: expectativa é fornecer um serviço de baixo custo para o lançamento de satélites de até 500 quilos (Foto: Divulgação / Raytheon)

A ilha de Santa Maria, no arquipélago dos Açores, em Portugal, poderá receber a primeira base exclusiva para lançamento de pequenos satélites dentro da União Europeia. Consórcios internacionais de oito países estão na disputa para implementar o novo porto espacial.

Quatorze consórcios dos EUA, Rússia, Holanda, França, Itália, Alemanha, Espanha e Portugal apresentaram propostas de interesse durante a primeira etapa do Programa Internacional do Atlântico para Lançamento de Satélites.

“Uma comissão vai convidar empresas para avançarmos para a próxima fase, que será um chamado para apresentação de propostas mais concretas. Esta segunda fase vai decorrer entre janeiro e fevereiro de 2019”, explicou à Sputnik Brasil o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores, Gui Menezes.

O programa é um passo importante na caminhada de Portugal rumo ao desenvolvimento de novas tecnologias.

“Deve atender à crescente demanda que visa órbitas específicas para pequenos satélites, para diversas finalidades, como aplicativos de comunicação, de observação da Terra, que podem ir de monitorar agricultura e pesca, oceanos, fazer medições terrestres e aéreas, até monitoramento de infraestruturas, desenvolvimento urbano, segurança, entre outros — um mercado que deve valer vários bilhões de euros”, lê-se na justificativa do programa.

A expectativa é fornecer um serviço de baixo custo para quem quiser lançar um satélite de até 500 kg para órbitas polares ou sincronizadas com o Sol, que vão de 400 até mil km de altitude. A iniciativa é do governo português e do governo regional dos Açores.

“Mas conta com apoio técnico da Agência Espacial Europeia, da qual Portugal é membro. A agência vai acompanhar e aconselhar durante todas as etapas”, disse Piero Messina, oficial do departamento de estratégia.

Além do investimento privado do consórcio vencedor, o investimento do governo português gira em torno dos cinco milhões de euros (mais de 20 milhões de reais).

A previsão é de que o porto espacial esteja em operação no primeiro semestre de 2021. Para o governo português, a instalação vai estimular geração de empregos e desenvolvimento para a região.