Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Por mais Tabatas atuando na política
Tribuna Livre

Por mais Tabatas atuando na política

Tayana Dantas  (Foto: Tribuna Livre)
Tayana Dantas (Foto: Tribuna Livre)
Lugar de mulher é onde ela quiser. Certo? Mas na política ainda não funciona bem assim. Temos desigualdades diversas no país – racial, social, só para citar alguns exemplos – e a de gênero é uma das mais presentes no nosso dia a dia. Quando o assunto é a participação feminina em mandatos, então, há situações que chegam a ser constrangedoras.

Um dos exemplos mais marcantes vem do próprio Congresso: somente em 2016 – ou seja, há apenas três anos – o plenário do Senado brasileiro passou a ter banheiro para as senadoras. É como se aquele espaço até outro dia nunca tivesse sido verdadeiramente um espaço para nós, mulheres.

O voto feminino no Brasil foi assegurado em 24 de fevereiro de 1932. Mas foi no decorrer do século XX que o voto das mulheres foi ganhando mais peso até que, nas eleições de 2000, as mulheres superaram os homens em números absolutos de eleitores. Esses números, entretanto, não se traduziram exatamente em aumento de representação.

Quando comparamos o Brasil com o mundo, estamos no rodapé de um ranking mundial de presença feminina em parlamento. Atualmente, o país ocupa a 152ª posição na lista de 193 países – segundo levantamento feito pela União Interparlamentar Internacional, com base em dados de janeiro de 2018.

Para incentivar o aumento dessa representação, acredito que devemos incentivar o protagonismo das mulheres em todas as áreas da sociedade, inclusive na política.

Por que não? Muitas mulheres não entram na atividade parlamentar ou executiva porque não recebem espaço nem apoio dos dirigentes partidários. Vemos muitas vezes mandatos de mulheres sendo usados como feudos familiares – que passam de marido para esposa, através da influência do sobrenome. Vemos também mulheres usadas como “laranjas” para cumprir as chamadas cotas de gênero – que asseguram 70% das candidaturas para um sexo e 30% para outro. São formas de driblar a suposta igualdade que nossos legisladores “tentaram” garantir.

Mas também vemos novas lideranças do sexo feminino fazendo a diferença na política. E o que proponho é que olhemos para elas. Elas podem nos inspirar. Um bom exemplo que posso citar é o da deputada federal Tabata Amaral (SP).

Ela foi a sexta deputada federal mais votada em São Paulo no ano passado e tem ganhado destaque no Congresso com uma postura que representa a essência da nova política: atuante e estudiosa sobre os temas que representa – em especial a educação.

Foi Tabata quem protagonizou em março deste ano um embate que viralizou nas redes sociais com o então ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, na Comissão de Educação da Câmara.

“Em um trimestre, não é possível que o senhor apresente um Power Point com dois, três desejos para cada área da educação. Cadê os projetos? Cadê as metas?“, questionou a parlamentar.

Tabata expressou aquilo que todos nós gostaríamos de dizer sobre a inércia de Vélez. A mudança que tanto desejamos passa por cada um de nós.

Em casa, na família, no trabalho, na política. E a igualdade que defendemos passa também por uma participação mais ativa das mulheres na política.

Que tenhamos mais Tabatas. Você, inclusive, pode ser uma delas.

Tayana Dantas é fundadora do Movimento Vila Nova


últimas dessa coluna


Exclusivo

Netflix versus cinema. Vocês ainda não viram nada

Nova Iorque, 6 de outubro de 1927, Picadilly Theatre. Na tela, diante de um público que desconhecia o que lhe aguardava, o ator branco Al Jolson, pintado com tinta preta, interpreta um cantor de jazz …


Exclusivo

Teletrabalho e a possibilidade legal da empresa reduzir custos

O teletrabalho é previsto no Capítulo II-A da CLT, porém, empresários e trabalhadores ainda têm dúvidas sobre essa modalidade contratual, também chamada de home office. O teletrabalho nada mais …


Exclusivo

Violar prerrogativas é amedrontar a sociedade

O advogado mineiro Sobral Pinto foi definitivo: “A advocacia não é uma profissão de covardes”. E não é mesmo. Enfrentar o Leviatã cada vez mais inchado e poderoso, somadas às angústias dos condenados…


Assistentes sociais no combate ao racismo

Vivemos uma conjuntura marcada pela intensificação da retirada de direitos sociais e de mudanças drásticas na direção das políticas públicas. São mudanças defendidas a partir de um discurso que visa …


Primeira estrada do Estado completa um século

Ao transitar pelas inúmeras estradas de rodagem que interligam os mais remotos rincões do nosso Estado, pouca ou nenhuma memória nos vem à tona para nos remeter a um passado relativamente recente, de …


Agricultura e economia nacional: passos para o desenvolvimento

Atualmente, o Brasil ocupa lugar de destaque como exportador de vários produtos agrícolas, razão pela qual se afigura como um dos principais atores na redefinição da ordem mundial do comércio …


A importância dos conselhos de fiscalização profissional

Em tempos de discussão acerca da manutenção dos conselhos de fiscalização das atividades profissionais e até mesmo a dúvida que permeia a sociedade quanto à necessidade da existência de tais …


A onda do naturismo cristão

Está chegando ao Brasil mais uma onda norte-americana do campo religioso. Criada em 1984, na cidade de Ivor, Pensilvânia, a Igreja White Tail se destaca por ser uma comunidade nudista. O …


E os médicos ainda são culpados?

A velha história se repete. A crise que acomete a assistência aos pacientes no PA de Alto Lage, em Cariacica, foi creditada, há pouco tempo, pelo prefeito daquele município, em entrevista a emissoras …


Por que os jovens bebem tanto?

É uma triste realidade. Os adolescentes têm bebido cada vez mais e, o que é pior, cada dia mais cedo. Quais seriam as causas? Onde encontrar a origem do problema? São perguntas que todos fazem, mas …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados