X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Chefe do tráfico é preso acusado de cometer assassinatos na Serra

| 09/10/2020 10:35 h | Atualizado em 09/10/2020, 11:03

Levi Tiago da Silva, de 25 anos, é acusado de matar quatro pessoas e balear outras seis no período de um ano.
Levi Tiago da Silva, de 25 anos, é acusado de matar quatro pessoas e balear outras seis no período de um ano. |  Foto: Divulgação/Sesp
A Polícia Civil prendeu nesta quinta-feira (8) o chefe do tráfico do bairro Central Carapina, na Serra. Levi Tiago da Silva, de 25 anos, é acusado de matar quatro pessoas e balear outras seis no período de um ano.

Levi foi preso depois de passar quase dois anos foragido. Nesse período, para despistar a polícia e os próprios moradores, ele chegava a andar pelo bairro com uniforme de empresas, se passando por trabalhador.

O traficante foi preso no bairro Maringá, também na Serra. "Estávamos monitorando o Levi há cinco meses, ele era nosso alvo número um. Levantamos o endereço em que ele estava morando, porque trocava de casa constantemente. Só em Maringá essa já era a terceira residência dele", explicou o delegado Rodrigo Sandi Mori, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) do município.

Os agentes cercaram a casa e Levi chegou a tentar fugir por uma báscula, mas foi pego.

A ficha criminal de Levi é extensa. Ele foi preso em 2015, por homicídio, mas fugiu do Centro de Detenção Provisória da Serra em novembro de 2018. Assim que deixou a cadeia, ele já assumiu a direção do tráfico da região "da Vala", em Central Carapina, e os ataques começaram.

"Em 3 de janeiro de 2019 ele é responsável pelos homicídios de André Antunes Pereira dos Santos e por uma tentativa contra outra vítima. Em 23 de fevereiro, ele participou de uma quádrupla tentativa de homicídio, também em Central Carapina", afirmou Sandi Mori.

Levi ainda matou Deivid Conceição de Oliveira, no dia 26 de fevereiro de 2019, e atingiu outra vítima. Em 17 de novembro, ele participou de um ataque em Jardim Carapina, onde mais de 10 homens armados atiraram pelo bairro para mostrar poder. Na ocasião, o grupo matou o próprio comparsa, Ronan Belotti de Oliveira.

O último homicídio dele foi em 9 de fevereiro deste ano, quando deram um ataque na gangue rival, "da Favelinha", e mataram Erick Amaral Santos. "Em todos os crimes a motivação está relacionada à disputa pelo tráfico de drogas entre a gangue da Favelinha e da Vala, todas em Central Carapina", ressaltou o delegado.

Agora, a polícia está atrás de outros três comparsas dele, que também são réus por homicídios e tentativas de homicídio em Central Carapina: Davidson Chaves, o DD, de 25 anos; Hudson Tiago da Silva, o Peludson, de 28 anos – que é irmão do Levi; e Lorenzo Cristian Elias Viana, 20.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS