X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Briga dentro de cadeia causou tiroteio no Moscoso

| 05/02/2020 14:48 h

Policiamento no Morro da Piedade: houve reforço de militares nas ruas também do Morro do Moscoso, em Vitória
Policiamento no Morro da Piedade: houve reforço de militares nas ruas também do Morro do Moscoso, em Vitória |  Foto: Fábio Nunes / AT

Uma briga entre bandidos de gangues rivais dentro da cadeia pode ter causado o intenso tiroteio no Morro do Moscoso, em Vitória, na última segunda. É o que acreditam policiais que atuam na região e moradores.

O conflito na região é antigo. Bandidos do Complexo da Penha – que reúne os bairros da Penha, Bonfim, São Benedito, Consolação, Gurigica e Itararé – travam uma disputa contra gangues que se unem com o bairro da Piedade, que fica entre o Moscoso e a Fonte Grande, próximos ao centro de Vitória.

Na segunda-feira, em patrulhamento na parte baixa do bairro Moscoso, policiais militares foram surpreendidos por muitos disparos de arma de fogo, por volta das 19 horas.

Policiais que atuam na região contaram que as armas utilizadas foram de grosso calibre e que há muito tempo não havia registro de uma ocorrência semelhante.

A Polícia Militar só não revidou os tiros porque não conseguiu identificar de onde vieram os disparos. Mas equipes da Força Tática prestaram apoio no local.

O comandante do 1º Batalhão (Vitória) da PM, tenente-coronel Márcio Borges, não descarta que o tiroteio tenha sido motivado pela briga entre rivais na cadeia, mas reforçou que ainda não há informações oficiais da origem do grupo que efetuou os disparos.

“O que temos registrado até agora é que pessoas ligadas ao tráfico tentaram passar pela região da Piedade para chegar ao bairro da Fonte Grande”, explicou.

Moradores ficaram assustados. “Nós tínhamos acabado de chegar do trabalho. Pegamos as crianças que estavam brincando no pé do morro e começamos a subir”, disse uma mãe que não quis se identificar.

A Polícia Civil informou que tenta identificar os envolvidos. Segundo a polícia, o alvo não era a Piedade e sim o bairro da Fonte Grande.

O tenente-coronel Borges explicou que graças a uma denúncia anônima, um suspeito foi preso acusado de ter dado fuga aos atiradores. “O motorista atesta que transportou as pessoas do Moscoso até sair da comunidade. O veículo foi encontrado, no centro de Vitória, pelo cerco eletrônico. Dentro dele só havia o condutor”.

Após o conflito, mais de 40 policiais, junto à Guarda Municipal de Vitória, estão prestando apoio entre os bairros do Moscoso, Piedade e Fonte Grande.

Medo e silêncio após tiros

A lei do silêncio é o que impera nos bairros da Piedade e do Moscoso, em Vitória. Depois de uma noite com rajadas de tiros que duraram cerca de 15 minutos, na última segunda-feira, o clima nos bairros é de medo.

Morador do Moscoso desde os 10 anos, um aposentado, de 86, contou que nunca ouviu uma sequência tão longa de tiros no bairro. “Parecia metralhadora. Foram rajadas de tiros, não parava. Os disparos começaram no pé do morro, mas a sequência mais longa aconteceu lá em cima, na pracinha”, contou ele.

A reportagem de A Tribuna esteve no bairro na manhã de ontem. Porém, nenhum dos moradores que conversou com a equipe quis se identificar. Eles contaram que a troca de tiros foi provocada por traficantes de fora, principalmente do Complexo da Penha.

“Eles tinham um alvo. Os tiros eram para um rapaz, mas ele conseguiu correr e escapar”, afirmou uma moradora, que não quis informar a profissão e idade.

Quando os tiros começaram, moradores da região correram para se proteger. “Eu estava na rua, conversando. Tinha um pessoal no barzinho também. Quando o tiroteio começou, já entramos em casa e nos trancamos”, disse a moradora.

A Prefeitura de Vitória destacou que as unidades de saúde, escolas e centros de assistência social funcionaram normalmente ontem, com agentes da Guarda Municipal realizando patrulhamento ostensivo na região. Informou ainda que o ano letivo começa hoje.


Entenda o caso


Ponto estratégico

  • Na região Central de Vitória, o bairro da Piedade tem um histórico de disputa entre traficantes devido ao posicionamento “estratégico”.
  • Moradores da comunidade destacam que bandidos conseguem ter acesso a vários outros bairros como Fradinhos e Jucutuquara, passando por dentro da mata, que se torna ponto de fuga.
  • Além disso, é um ponto que facilita o acesso ao centro de Vitória, para vendas de drogas.
Imagem ilustrativa da imagem Briga dentro de cadeia causou tiroteio no Moscoso

Histórico

  • O comandante do 1º Batalhão (Vitória) da PM, tenente-coronel Borges, disse que, desde 2018, as comunidades do Moscoso e da Piedade não registravam ocorrências violentas.

Casa queimada

  • Em junho de 2019, traficantes que invadiram o Morro da Piedade , queimaram casas e fizeram mais de 100 disparos.

Mortes na comunidade

  • Os Irmãos Damião e Ruan Reis foram mortos a tiros, em 2018. Damião era passista e Ruan capoeirista.
  • Lucas teixeira verli morador da Piedade, 19 anos, estava na frente da casa de um amigo quando foi morto a tiros, também em 2018.
  • Walace de Jeus santana,26 anos, foi assassinado na Piedade, com mais de 40 tiros, em 2018. Após o crime, bandidos expulsaram o avó, o irmão e a cunhada da vítima e atearam fogo na casa da família.

Fonte: Pesquisa AT, moradores e policiais.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS