Fabiana Tostes

Fabiana Tostes


Polícia Civil indicia casal por tentar extorquir Amaro Neto

Deputado Amaro Neto  (Foto: )
Deputado Amaro Neto (Foto: )

A Polícia Civil concluiu o inquérito e indiciou o cabo da Polícia Militar Fernando Marcos Ferreira e sua mulher, a pedagoga Keila Bonde Ferreira, que foram presos na última sexta-feira (30) acusados de tentar extorquir o deputado estadual Amaro Neto (PRB).

O policial foi indiciado no artigo 158 (extorsão), parágrafo 1º, do Código Penal, por ter “constrangido a vítima mediante grave ameaça, com o intuito de obter para si indevida vantagem econômica, referente ao pagamento da quantia de R$ 500 mil, sob pena de divulgação de vídeo íntimo que mantinha em sua posse”.

Ele também foi indiciado no artigo 147 (ameaça), duas vezes, por ter ameaçado Amaro e seu assessor, Elder Sena. Já Keila foi indiciada no artigo 158 (extorsão), com a mesma alegação aplicada ao marido.

De acordo com o Código Penal, a pena por extorsão é de reclusão, de quatro a dez anos, e multa. O que pode ser agravado para 5 anos e 4 meses a 15 anos, por ter sido cometido por duas pessoas. Já a pena por ameaça é de um a seis meses, ou multa.