Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Pedras interditam estrada no Sul do Estado

Notícias

Cidades

Pedras interditam estrada no Sul do Estado


 (Foto: Divulgação/Defesa Civil de Castelo)
(Foto: Divulgação/Defesa Civil de Castelo)
Pelo menos 20 famílias estão isoladas na localidade de Lembrança, interior de Castelo, no Sul do Estado, após um paredão de pedra de 60 metros de altura se soltar, atingir casas e fechar a estrada que dá acesso à comunidade. Cinco famílias precisaram sair de suas residências em função do risco de novos deslizamentos.

“Foi um barulho grande e demorado. Parecia que o mundo estava acabando. Abrimos a porta da sala e não dava para ver nada, só muita poeira”, relembrou o agricultor Maicon Cararo da Cruz, 28 anos.

O drama dos moradores começou na madrugada do dia 28, quando caiu a primeira parte do paredão. As pedras que desceram a montanha represaram o córrego e interditaram a estrada. Também atingiram um prédio com duas residências.

A agricultora Vanessa Ambrosio Cogo estava dentro de casa quando as pedras atingiram o imóvel. “Lembro-me a todo instante. Não dá para dormir”, disse. O prédio foi interditado e as duas famílias estão nas residências de parentes.

Após o primeiro desmoronamento, mais pedras voltaram a descer do paredão. Segundo o coordenador da Defesa Civil do município, Lúcio Cesconetti, imagens feitas por drone apontam rachaduras e a possibilidade de um novo desmoronamento.
“Após analisar as imagens, decidimos interditar outras três residências, pois podem ser atingidas. Também iremos decretar amanhã (hoje) situação de emergência na região”, disse.

O objetivo do decreto, segundo Lúcio, é facilitar parcerias do município com o governo do Estado para viabilizar máquinas e recursos para minimizar os riscos e ajudar os moradores. Uma geóloga da Defesa Civil Estadual está elaborando relatório, que deve sair hoje.

Além das famílias isoladas, o desmoronamento impede o acesso à igreja, cemitério, salão comunitário e ao campo de futebol. Não dá para escoar o café e o leite produzidos na região. Além disso, 12 estudantes estão sem acesso a ônibus.

Um pequeno desvio foi feito, mas com as chuvas não é possível seguir de carro. “O risco é muito grande. O paredão pode cair a qualquer momento”, disse Lúcio.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados