Notícias

Cidades

Luciano Rezende anuncia patinetes elétricos nas ruas em até 15 dias


O empresário Matheus Ali usa o patinete elétrico para ir de casa, na Praia do Canto, até o trabalho, no Centro (Foto: Beto Morais/A Tribuna)
O empresário Matheus Ali usa o patinete elétrico para ir de casa, na Praia do Canto, até o trabalho, no Centro (Foto: Beto Morais/A Tribuna)


Para fugir do trânsito, principalmente nos horários de pico, muitas pessoas têm encontrado em outros meios de transporte alternativas para tornar o trajeto mais prazeroso e rápido: há quem opte pelos patinetes, bicicletas e skates elétricos, e até pranchas para chegar ao trabalho.

Vitória vai ganhar 200 patinetes, que poderão ser usadas a partir de um aplicativo (Foto: Divulgação)
Vitória vai ganhar 200 patinetes, que poderão ser usadas a partir de um aplicativo (Foto: Divulgação)
Moradores e turistas vão poder usar patinetes elétricos para ir ao trabalho, para chegar mais rápido a algum compromisso ou para lazer. Até o final de janeiro, essa nova modalidade já será oferecida em Vitória. Foi o que anunciou o prefeito de Vitória, Luciano Rezende, nesta segunda-feira (14).

O sistema será operado pela start-up Yellow, que já implantou os patinetes em São Paulo, São José dos Campos, Florianópolis e Rio de Janeiro. A empresa terá licença do município para firmar parcerias com a iniciativa privada para a implantação das estações. Detalhes sobre valores de uso ainda estão sendo fechados e serão anunciados em breve.

Inicialmente, serão disponibilizados 200 "amarelinhas". Os usuários deverão baixar o aplicativo para usar esse meio de transporte. Em um mapa será possível localizar o patinete mais próximo e conseguir a liberação a partir de um QR Code.

Mobilidade
O prefeito ressaltou que é mais uma opção para rodar pela cidade e melhorar a mobilidade urbana.

"Isso vai revolucionar a mobilidade em Vitória. A pessoa pode atravessar a cidade toda em 17 quilômetros. É um meio de transporte silencioso e seguro. O transporte em pequenas distâncias no patinete elétrico funciona muito bem em San Diego, onde vi o sucesso desse sistema, e outras cidades", ressaltou Luciano Rezende, destacando ainda o sucesso do sistema de compartilhamento de bicicletas, o Bike Vitória.

Representante da empresa, Milton Achel prevê o sucesso da modalidade em Vitória. "É uma cidade linda e plana. A micromobilidade tem a sua potencialidade. Vai ser um sucesso".

 (Foto: )
(Foto: )
O servidor público e publicitário Guilherme Campello, 59 anos, há quatro anos já usa uma prancha de stand up paddle para atravessar a baía de Vitória, de Vila Velha até o trabalho, na Enseada do Suá.

Ele contou que o tempo de trajeto na prancha varia conforme vento e correnteza, mas costuma gastar entre 22 e 40 minutos.

“Nem sempre dá para ir de prancha, por causa do tempo, mas esse é o meu principal meio de transporte. O carro é uma alternativa, pois chego a gastar mais tempo”.

Ele revelou, ainda, que para a travessia dar certo, coloca a roupa de trabalho em uma mochila impermeável e troca quando chega ao local do serviço.

“O stand up começou como uma brincadeira com a minha filha, que é autista e gostava do esporte. Hoje, além do meio de transporte, já é também uma forma de participar de competições”.

Quem também buscou alternativa para chegar ao trabalho, mas pelo asfalto, foi o empresário Matheus Ali, 30. Ele mora na Praia do Canto e trabalha no centro de Vitória e costumava levar 1h30 para fazer o trajeto de quase 10 quilômetros.

“Hoje, não levo mais do que oito minutos. Além de ganhar mais tempo para cuidar de mim, eu ainda economizo, já que antes eu gastava, em média, R$ 100 em gasolina a cada dois dias”, contou.

Matheus comprou um patinete elétrico há seis meses e não demorou para perceber o sucesso que ele faz pelas ruas. Tanto que o empresário decidiu entrar no ramo e passou a vender os equipamentos. “Trouxe 82 da China e vendi todos em um mês. Fiquei surpreso”.

O comerciante Howard Rosken, que atua na assistência técnica de produtos como os patinetes, bicicletas e skates eletrônicos, como o hoverboard (espécie de skate em duas rodas), afirmou que o uso desses produtos tem crescido muito na Grande Vitória, tanto para trabalho quanto para lazer, e podem ser usados nas ciclovias.

“Eles não costumam dar problemas, com uma bateria durando até dois anos e meio”, afirmou.

 (Foto: )
(Foto: )
 (Foto: )
(Foto: )
 (Foto: )
(Foto: )
Cuidados
Os patinetes poderão ser usados nas ciclovias e ciclofaixas. Nas calçadas, será necessário respeitar a velocidade máxima de 6 km/h. A empresa dá algumas dicas de uso:

- Respeite as leis de trânsito e evite acidentes
- Use o capacete para sua própria segurança
- Se for andar à noite, acenda os faróis
- Estacione somente dentro da área de atuação e em uma das estações

 (Foto: Jornal A Tribuna)
(Foto: Jornal A Tribuna)