search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Partidos mudam leis há 22 anos para faturar mais
Cláudio Humberto
Cláudio Humberto

Cláudio Humberto


Partidos mudam leis há 22 anos para faturar mais

Desde 1997, os partidos políticos alteram as leis e os limites de gastos, como se viu agora na tentativa de ampliar o Fundão Sem Vergonha, para facilitar o acesso aos cofres públicos.

O presidente Jair Bolsonaro vetou algumas, mas é improvável que os vetos sejam mantidos pelo Congresso.

As alterações são manobras para acesso livre ao bolso do cidadão, fazendo-o pagar, além de campanhas, até multas eleitorais. Na campanha de 2020, já estão autorizados a nos tirar R$ 1,7 bilhão.

Simulação impune

O Conselho de Ética da Câmara vota amanhã relatório do deputado Hiran Gonçalves (PP-RR) que arquiva o caso de Maria do Rosário (PT-RS), que simulou haver sofrido “agressão física” no plenário.

Porteira aberta

Em 1997, os partidos cancelaram os parâmetros da Lei de Licitações e o dinheiro deixou de ser gasto pela melhor relação custo/benefício.

Impunidade

Já em 1998, o Congresso proibiu o cancelamento do registro de um partido que não apresentar ou tiver as contas rejeitadas.

Mais que um mandato

Políticos aumentaram para 5 anos, em 2009, o prazo para julgamento das contas partidárias e limitaram a suspensão dos repasses a um ano.

Dinheiro não cessa

Desde 2015, o repasse só é suspenso se o partido está inadimplente, mas a reprovação das contas deixou de configurar a inadimplência.

MPF deu volta na estratégia de vitimização de Lula

Quando o ex-presidente Lula abriu mão da progressão de regime para o semiaberto, imaginou-se que a estratégia de vitimização e a lorota de “preso político” daria certo, mas ele não contava com o pedido do MPF para dar o benefício ao petista.
No semiaberto, Lula terá de andar na linha para não voltar ao regime fechado e ainda pode se ver obrigado a fazer o que disse a todos que jamais faria: usar uma tornozeleira.

Volta ao batente

No semiaberto, Lula também terá que fazer algo que há muito não está habituado: trabalhar. Pegar no pesado nunca foi o seu forte.

Quer ficar preso?

Lula já cumpriu um sexto da pena por corrupção e lavagem de dinheiro, mas diz preferir ficar preso, ao contrário de todos os outros bandidos.

Também no STF

Outra esperança de Lula é a suspeição e a anulação das decisões do ex-juiz Sérgio Moro pelo STF com base em áudios obtidos por hackers.

Só para registrar

Rodrigo Janot, aquele que queria resolver à bala suas diferenças com Gilmar Mendes, é produto da tal “lista tríplice”. Foi o mais votado e por isso nomeado duas vezes por Dilma Rousseff (PT). Deu no que deu.

Abrangência limitada

Gilmar Mendes esclareceu que, em princípio, as decisões do STF que serão sacramentadas na próxima quarta-feira só vão beneficiar aqueles que já vinham arguindo a nulidade desde o início, “algo limitado”.

Primeiro grande passo

A votação da reforma da Previdência está confirmada para amanhã, segundo o presidente do Senado, Davi Alcolumbre. “O compromisso é votar na CCJ de manhã e no plenário, em 1º turno, à tarde”, disse.

Meio a meio

Virou piada nas redes sociais a nova foto de perfil de petistas como senador Humberto Costa e deputado José Guimarães, metade deles e metade de Lula. “É que o Lula vai para o semiaberto. Tá só meio livre”.

Previdência em pauta

Após ter sido adiada na semana passada, a votação em 1º turno da reforma da Previdência deve ser realizada no plenário do Senado amanhã e a expectativa do governo é aprovar o 2º turno até o dia 10 de outubro.

Poderia ser pior

Apesar dos R$ 135 milhões torrados no “cotão”, os gastos de parlamentares este ano devem ser o menores desde 2010. O recorde foi em 2017, quando R$ 253 milhões foram ressarcidos às excelências.

Pergunta na areia

Ninguém vai culpar o presidente Jair Bolsonaro pelas manchas de óleo nas praias do Nordeste?

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Cláudio Humberto

F-1 procura Ibaneis para realizar GP em Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), vai se reunir hoje ao meio-dia com dirigentes da empresa norte-americana Liberty Media, que detém direitos da Fórmula 1, para tratar da …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Se há prova de crime, “ataque à imprensa” é falácia

A Constituição assegura o direito de o jornalista preservar a fonte, e não é crime publicar denúncia baseada em documentos ou gravações levados ao repórter. Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Regina Duarte topa, mas pensa na rebordosa

A atriz Regina Duarte quer mesmo a Secretaria Especial de Cultura. Nem faz questão do status de ministério, apesar de considerar isso positivo. Faz questão é de estrutura e recursos, para uma gestão …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Petrobras tem gastos bilionários em patrocínios

A Petrobras distribuiu mais de R$ 1,77 bilhão em generosos patrocínios na última década. A maior parte, R$ 1,05 bilhão, foi entregue em apenas dois anos: 2013, início oficial da crise política e dos …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Aneel prefere queimar milhões de litros de diesel

Enquanto tramava a asfixia da energia solar, tentando taxar em 64% os que investiram em geração distribuída, a agência reguladora de energia Aneel trata como se fossem irrelevantes os 1,3 milhão de …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Se não copiou, é pior: Alvim pensa como Goebbels

Ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim tornou ainda pior sua situação ao alegar que foi apenas “uma coincidência” a frase usada no patético discurso cujo autor original era ninguém menos que Joseph …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Adiando lei, STF assume “tutela” sobre os poderes

Ao adiar a vigência da lei do juiz de garantias, o Supremo Tribunal Federal (STF) assume sua “tutela” sobre o Executivo e o Legislativo, cujas decisões só são válidas após uma “segunda sanção” da …


Exclusivo
Cláudio Humberto

“Taxar o sol” fere compromisso assumido em Paris

O lobby das distribuidoras de energia plantou na Aneel a ideia de taxar quem investiu na geração da própria energia, principalmente solar, mas as consequências poderiam ser gravíssimas se o president…


Exclusivo
Cláudio Humberto

Petrobras de Bolsonaro corta 90% da propaganda

Um dos maiores anunciantes do Brasil, sob comando do governo federal, a estatal Petrobras cortou drasticamente a verba publicitária no primeiro ano de governo de Jair Bolsonaro. Corte chegou a 90%. …


Exclusivo
Cláudio Humberto

Maia “esquece” acordo e já articula sua sucessão

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já esqueceu o acordo que fez há um ano no apartamento paulistano do presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), para apoiar o deputado Arthur Lira à …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados