search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Partidos estão em busca de mulheres para as próximas eleições

Notícias

Publicidade | Anuncie

Política

Partidos estão em busca de mulheres para as próximas eleições


Jackeline Rocha disse que  trabalho em busca de candidatas mulheres está intenso e conta com a ajuda do projeto “Elas por Elas” (Foto: Beto Morais — 17/09/2018)
Jackeline Rocha disse que trabalho em busca de candidatas mulheres está intenso e conta com a ajuda do projeto “Elas por Elas” (Foto: Beto Morais — 17/09/2018)

Com o fim das coligações partidárias nas eleições proporcionais este ano, cada partido terá de ir em busca de sua própria cota de 30% de candidaturas femininas em suas chapas para disputar os postos de vereador.

O percentual, que nas eleições anteriores era dividido entre as legendas que formavam aliança para a disputa, não será tarefa fácil de atingir este ano. Estima-se que as siglas no Estado tenham de ir em busca de 3.564 candidatas para o pleito que ocorre em novembro.

Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que o Estado teve 9.900 candidatos na eleição municipal de 2016 e pouco mais de 3 mil candidaturas do sexo feminino.

Conforme o advogado em Direito Eleitoral Marcelo Nunes, se levar em conta o fim das coligações a tendência é de que o número de candidatos seja 20% maior. “Os partidos terão que lançar sozinhos chapa completa, o que pode dar algo em torno de 12 mil candidatos, sendo mais de 3.500 candidaturas femininas.”

O que pode dificultar ainda mais a vida dos partidos em busca dela é que o TSE endureceu o cerco a candidaturas laranjas de mulheres. Os partidos terão que apresentar autorização por escrito de todas candidatas.

Organização

A presidente estadual do MDB Mulher, Luzia Toledo, conta que o partido já possui 100 pré-candidatas a vereadoras no Estado, resultado de um trabalho de formação e incentivo a elas.

Neuzinha de Oliveira, presidente do PSDB em Vitória e única mulher a se eleger para a Câmara de Vereadores do município, em 2016, quer ser candidata a prefeita e garante que a chapa de vereadores de seu partido já possui mais de 30% de mulheres.

A presidente estadual do PT, Jackeline Rocha, conta que tem sido intenso o trabalho de formação política com as pré-candidatas, através de um projeto chamado “Elas por Elas”, que visa fortalecer e incentivar mulheres na política.

O deputado estadual Alexandre Quintino, presidente do PSL-ES, contou que na maioria dos municípios onde o partido possui chapa para vereadores, não está ocorrendo problemas para alcançar o percentual de 30%.

Estado é o último em participação feminina

Estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) conta que o Espírito Santo possui 4.018.650 habitantes, dos quais 52% seriam de mulheres. A superioridade numérica em relação aos homens, porém, não reflete nos espaços de poder.

O Estado está na última colocação no País em representatividade feminina, ocupando apenas 8,6% do total de cargos políticos no Estado. Os dados são do Mapa Mulheres na Política 2019, elaborado pelo Senado Federal.

“Esse número me incomodou muito, por mais que a gente tenha a vice-governadora, uma senadora, três deputadas federais e três estaduais, praticamente 80 vereadoras, oito vice-prefeitas e quatro prefeitas, ainda é baixa a representatividade em relação aos outros estados da federação”, disse a vice-governadora Jacqueline Moraes (PSB).

Ela foi a primeira mulher a ocupar o posto de governadora, após uma viagem de Renato Casagrande (PSB), em setembro de 2019.

Representatividade

Em 2016, nas últimas eleições municipais, o Estado elegeu quatro mulheres prefeitas, ou seja, apenas 5% do total dos 78 chefes de Executivo que venceram as eleições naquele ano.

Nas principais câmaras da Grande Vitória, a exemplo do restante do Estado, o número de mulheres eleitas também foi bastante reduzido.

Na capital, dos 15 vereadores, apenas Neuzinha Oliveira (PSDB) foi eleita. O mesmo aconteceu em Cariacica. De 19 vereadores, apenas Ilma Chrizostomo Siqueira (PSDB), se elegeu.

Em Vila Velha, dos 17 vereadores apenas três mulheres se elegeram e na Serra foram três dos 21 parlamentares eleitos.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados