Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Parceria no combate ao crime
Plenário
Fabiana Tostes

Fabiana Tostes


Parceria no combate ao crime

A revelação feita pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de que seu setor de inteligência identificou que foragidos da polícia carioca ligados a facções criminosas e a milícias buscam o Estado como esconderijo – noticiado com exclusividade ontem por A Tribuna – mostra que a guerra contra a criminalidade não pode ser feita de forma isolada.

Segundo dados do MP-RJ, informados por meio da Coordenadoria de Comunicação Social, dois milicianos já foram presos em Viana e um 3º, ligado à maior milícia carioca – conhecida como “Liga da Justiça” ou “Bonde do Ecko” – se escondia num sítio no Estado. Disseram ainda que entre os anos de 2016 e 2018, o PCC aumentou o número de seus representantes.

Para dar uma resposta ao crime, o MP-RJ aposta em parcerias. “Foram iniciadas tratativas para incremento da cooperação entre os MPs do Sudeste para troca de informações e tecnologias para combater organizações criminosas”.

MP-RJ e MP-ES juntos

A Operação Conexão Clandestina 3, deflagrada no ano passado para combater furto de petróleo bruto nos dutos da Transpetro é um dos exemplos de parceria, entre o Ministério Público do Rio e o do Estado, que deu resultado. Na ocasião foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, sendo 5 no Estado: dois na Serra, um em Cariacica, dois em Vila Velha.

Currículos de fora

A Comissão de Finanças da Assembleia rejeitou e arquivou projeto do deputado Sergio Majeski que obrigava o governo a colocar no Portal da Transparência o currículo dos chefes de autarquias e de detentores de cargos de alto escalão. O projeto já tinha sido aprovado na CCJ, mas o relator de Finanças, Euclério Sampaio, o rejeitou sem dizer o motivo.

Workshop sobre drogas e controle social

A Secretaria de Estado de Direitos Humanos faz hoje o Workshop “Drogas e controle social: um histórico da criminalização e do modelo da guerra”.

Este será o 1º de oito encontros com o objetivo de capacitar servidores públicos. Demais interessados também podem participar e não é preciso fazer inscrição. O evento será no Palácio da Fonte Grande, das 14h às 17h.

O avô e o netinho

O deputado Lorenzo Pazolini subiu a tribuna para defender um projeto e criticar o auxílio-moradia pago pelo governo quando citou o deputado Enivaldo dos Anjos, chamando-o de avô. “Tenho grande respeito, como se fosse um avô”. Enivaldo rebateu: “Eu não tenho neto atrevido e mal-educado”.

Direitos para as crianças da “homeschooling”

A Comissão de Justiça da Câmara de Vitória aprovou projeto do vereador Vinícius Simões que garante às crianças do homeschooling – que são educadas em casa – os mesmos direitos e acesso a atividades e políticas públicas oferecidas pela prefeitura às crianças matriculadas no ensino regular. “São de 20 a 30 famílias que não conseguem, por exemplo, matricular os filhos em treinos de futebol porque têm que apresentar matrícula em escola”, justificou.

Galeria

Agilidade

O deputado Danilo Bahiense tem debatido junto à Secretaria da Segurança para que inspetores penitenciários e socioeducadores possam ter acesso à frequência do rádio do Ciodes e à Delegacia On-line para agilizar boletins de ocorrência.

Mexeu com Contarato

“A retirada de radares não evitaria qualquer pseudoindústria de multas, mas criaria uma verdadeira indústria de mortes”. Do senador Fabiano Contarato, em seu Twitter.

Dados de fora

As informações sobre as milícias no Estado foram repassadas pela Coordenadoria de Comunicação Social do Ministério Público do Rio, que as obteve junto ao Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO) e à Coordenadoria de Segurança e Inteligência do MP-RJ.

Contra o bullying

Virou lei projeto do presidente da Câmara de Vila Velha, Ivan Carlini, que institui a obrigação de escolas municipais terem psicólogos.
 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados