search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Para casar mundo afora
Claudia Matarazzo
Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo


Para casar mundo afora

Hoje virou moda o destination wedding – ou seja, casar-se em outra cidade ou mesmo em outro país, com uma festa para menos pessoas, mas, em uma comemoração mais longa junto aos convidados, muitas vezes, chegando a uma semana.

Destinos como Fernando de Noronha e Ilhabela, e as regiões da Toscana, de Marrocos ou da Capadócia são alguns dos mais populares.

Ainda bem que, para se casar nesses lugares, não é preciso seguir à risca as tradições locais – apenas respeitar as leis trabalhistas de quem executa a festa, serve e/ou cozinha...

Sim, pois em alguns países ao redor do mundo, as tradições, além de variadas, podem ser complicadas de seguir... 

De escandaloso a reconfortante, aqui estão algumas tradições de casamentos bem diferentes do que estamos habituados a ver, e até bastante estranhas...

Guatemala: despedaçando o sino – Após a cerimônia, todos os convidados vão até a casa do noivo, onde há um sino de cerâmica branca cheio de arroz, farinha e outros grãos pendurados na porta. 

Quando o casal chega, a mãe do noivo quebra o sino, trazendo boa sorte e prosperidade aos recém-casados! Lindo mesmo, mas, quem será que limpa a bagunça depois?

Alemanha: serrando o tronco – Depois da cerimônia de casamento,
os noivos têm de usar um enorme serrote para cortar um tronco grande pela metade. 

Acredita-se que isso simbolize a maneira como devem trabalhar juntos no futuro. Fofo, mas haja força, não?

Quênia: cuspindo na noiva – Quando os recém-casados deixam a aldeia, o pai da noiva cospe na cabeça e no peito de sua filha, para não azarar sua boa sorte! Beeeem nojento! E, vamos combinar, será que funciona?

Japão: cerimônia de saquê – Os noivos tomam três goles de três xícaras de saquê, seguidos pelos pais – esse gesto simboliza o fato de estarem unindo as famílias.

País de Gales: rapto da noiva – Um jogo simulando o rapto é jogado antes da cerimônia. Alguém sequestra a noiva e a leva ao pub antes do casamento. O noivo deve encontrá-los.

Achei esse até divertido, mas tem muita noiva que não toparia isso por aqui...

Coreia: ganso para uma noiva – Os noivos devem dar à sua sogra um ganso selvagem ou um pato. Esses animais monogâmicos representam as intenções puras e a lealdade do noivo.

República Checa: para aumentar a fertilidade – Antes das cerimônias, uma criança é colocada na cama do casal, para abençoar e melhorar a sua fertilidade. 

Logo após o casamento, os convidados jogam sal, arroz, ervilhas ou lentilhas no casal, para também promover a fertilidade.

China: obstáculos à noiva – As damas de honra dão ao noivo um difícil dia de casamento.
Ele tem de provar que é digno, através de uma série de desafios. 

Depois disso, o noivo deve pagar as damas de honra com envelopes cheios de dinheiro!
Nesse, também quero ser daminha...

México: o laço – Uma vez que o casal tenha feito os seus votos, os convidados irão amarrá-los juntos, usando uma corda especial. 

A corda é amarrada em forma do número oito deitado (infinito), para simbolizar a unidade duradoura do casal.

Pois é: existem tradições e tradições, mas uma coisa que não muda em nenhuma delas: a união de duas pessoas apaixonadas.  Mas, se tivesse de escolher, qual delas você adotaria?

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Novo local de trabalho presencial

Quando acabar o home office precisamos estar preparados: novos protocolos de saúde e normas sanitárias serão adotados. E quando antes nos ajustarmos, melhor! Ajustes radicais – Os espaços de …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Casamentos pós-pandemia

Não teve jeito: com a pandemia, casamentos de todos os tipos e gostos foram adiados para... um novo momento. Quando e como serão os casamentos pós-pandemia? Muitos casais não quiseram esperar e se …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Demitido na quarentena

Muitas pessoas perderam seus empregos –  e é claro que fica tudo muito mais duro se isso aconteceu durante a quarentena. Ok, desespere sim, mas depois, respire e fique calmo para poder pensar em …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Novos profissionais na indústria de eventos após a Covid-19

Vamos falar do impacto da Covid-19 na imensa e mundial indústria de eventos: um dos setores mais atingidos pelo coronavírus.  Algumas empresas, como a Microsoft e o Facebook, anunciaram planos para …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

O novo virtual na profissão

Há décadas vínhamos nos acostumando a fazer várias coisas a distância: namorar, trabalhar, comprar e consumir... e havia uma escolha. Eis que agora, com distanciamento social, bem ou mal, a maior …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

A vez da consciência

Em plena quarentena e com o foco de todo o planeta voltado para a pandemia da Covid-19, escrever sobre algo que não seja o isolamento social, a agressão do dia do presidente Bolsonaro ou os números …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Quando uma casa não basta

Essa quarentena forçada – mas para alguns relativamente bem-vinda, não fosse a tragédia porta afora das casas – tem trazido à tona o pior de um grupo de pessoas que não suportam a própria companhia e …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Diferença entre chefe e líder

Oito em cada 10 profissionais pedem demissão por causa do chefe. É o que aponta Michael Page em um levantamento da consultoria de recrutamento Oggiam. Pois é! Ser um bom gestor não significa ser …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

O bom convidado

Convidado para um jantar entre amigos, será que tudo o que você tem a fazer é aparecer e comer? Não mesmo. Ora, preparar um jantar é um trabalho árduo. Seu anfitrião pode ter tirado todo o dia de …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Amigos e conhecidos: mais importantes do que se imagina!

Trabalho e família. É comum colocar neles todo o peso do nosso bem-estar, assim como todas as nossas expectativas. Agora, nos aproximando do terceiro mês do ano, este é um bom momento para refletir …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados