Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Pâmella Oliveira defende título do IronMan em Florianópolis

Esportes

Esportes

Pâmella Oliveira defende título do IronMan em Florianópolis


Consagrada nas provas de distância curta, a triatleta capixaba Pâmella Oliveira vai provando com conquistas expressivas que também está entre as principais atletas dos percursos mais longos. E é com pinta de favorita que ela defenderá neste domingo (28) o título da segunda edição do IronMan 70.3 de Florianópolis (SC), na Praia dos Ingleses, na capital catarinense.

Pâmella Oliveira vibra ao cruzar a linha de chegada e vencer o IronMan de Florianópolis, em 2018 (Foto: Divulgação)
Pâmella Oliveira vibra ao cruzar a linha de chegada e vencer o IronMan de Florianópolis, em 2018 (Foto: Divulgação)
Na disputa do ano passado, Pâmella saiu como vencedora da categoria elite ao completar o percurso de 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida em 4h23min03s. Na ocasião, ela contou com um empurrãozinho da torcida catarinense para terminar à frente e subir no lugar mais alto do pódio.

“Ano passado eu ainda estava conhecendo a distância e cometi alguns erros na prova, no final a vitória veio muito com a ajuda da galera. Competir de novo no IronMan 70.3 em Floripa será ótimo, a força extra do público sempre ajuda”, disse.

Assim como no ano passado, a prova vale vaga para o Mundial, que será disputado em Nice, na França. Em 2018, Pâmella fez história na mesma competição, disputada na África do Sul, ao terminar em quarto lugar, o melhor resultado de uma atleta brasileira no Mundial.

Para a medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em 2011, o bom desempenho dentro e fora do Brasil trará mais visibilidade na tentativa de defender seu título.

“Tive uma evolução muito grande na distância de 70.3 no ano passado, até a conquista do quarto lugar no mundial. Mas não muda muita coisa, a única questão que acho que muda é a visibilidade. Acho que agora as meninas vão passar a me estudar um pouco mais, assim como eu faço com elas. Saber o que esperar em cada modalidade. Agora é preciso treinar ainda mais, pois se manter no topo é ainda mais difícil”, disse.

Além de medalhista em Pan-Americano, a capixaba Pâmella Oliveira disputou duas edições de Jogos Olímpicos, em Londres/2012 e no Rio/2016. Outra conquista de destaque é da Copa do Mundo de Triatlo ITU, em 2013.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados