search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Pâmella Oliveira defende título do IronMan em Florianópolis

Esportes

Publicidade | Anuncie

Esportes

Pâmella Oliveira defende título do IronMan em Florianópolis


Consagrada nas provas de distância curta, a triatleta capixaba Pâmella Oliveira vai provando com conquistas expressivas que também está entre as principais atletas dos percursos mais longos. E é com pinta de favorita que ela defenderá neste domingo (28) o título da segunda edição do IronMan 70.3 de Florianópolis (SC), na Praia dos Ingleses, na capital catarinense.

Pâmella Oliveira vibra ao cruzar a linha de chegada e vencer o IronMan de Florianópolis, em 2018 (Foto: Divulgação)
Pâmella Oliveira vibra ao cruzar a linha de chegada e vencer o IronMan de Florianópolis, em 2018 (Foto: Divulgação)
Na disputa do ano passado, Pâmella saiu como vencedora da categoria elite ao completar o percurso de 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida em 4h23min03s. Na ocasião, ela contou com um empurrãozinho da torcida catarinense para terminar à frente e subir no lugar mais alto do pódio.

“Ano passado eu ainda estava conhecendo a distância e cometi alguns erros na prova, no final a vitória veio muito com a ajuda da galera. Competir de novo no IronMan 70.3 em Floripa será ótimo, a força extra do público sempre ajuda”, disse.

Assim como no ano passado, a prova vale vaga para o Mundial, que será disputado em Nice, na França. Em 2018, Pâmella fez história na mesma competição, disputada na África do Sul, ao terminar em quarto lugar, o melhor resultado de uma atleta brasileira no Mundial.

Para a medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em 2011, o bom desempenho dentro e fora do Brasil trará mais visibilidade na tentativa de defender seu título.

“Tive uma evolução muito grande na distância de 70.3 no ano passado, até a conquista do quarto lugar no mundial. Mas não muda muita coisa, a única questão que acho que muda é a visibilidade. Acho que agora as meninas vão passar a me estudar um pouco mais, assim como eu faço com elas. Saber o que esperar em cada modalidade. Agora é preciso treinar ainda mais, pois se manter no topo é ainda mais difícil”, disse.

Além de medalhista em Pan-Americano, a capixaba Pâmella Oliveira disputou duas edições de Jogos Olímpicos, em Londres/2012 e no Rio/2016. Outra conquista de destaque é da Copa do Mundo de Triatlo ITU, em 2013.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados