Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Palmeiras aposta em Ramires e Felipe Melo no meio-campo

Esportes

Esportes

Palmeiras aposta em Ramires e Felipe Melo no meio-campo


A contratação de Ramires já faz o torcedor imaginar como o técnico Felipão pretende montar o Palmeiras no segundo semestre. As opções são muitas, as alternativas também, mas o treinador tem pelo menos a superstição como fator favorável para juntar o reforço a Felipe Melo no meio-campo. Apesar de ambos já terem jogado no Cruzeiro, eles só se encontrariam na seleção brasileira, pela qual venceriam 11 jogos seguidos juntos.

Aconteceu há dez anos, é verdade, mas Felipe Melo e Ramires nunca perderam um jogo sequer atuando juntos. Eles tiveram aproveitamento perfeito nas partidas em que defenderam juntos a seleção brasileira, entre 2009 e 2010: foram 11 vitórias seguidas, incluindo ocasiões em que um saiu do banco para fazer dupla com o outro ao longo dos 90 minutos.

Ambos estiveram em campo juntos pela primeira vez há exatos dez anos, em junho de 2009, quando o Brasil goleou a seleção uruguaia por 4 a 0 nas Eliminatórias para a Copa do Mundo do ano seguinte. Na ocasião Felipe Melo foi titular, e Ramires entrou na vaga de Elano para ser o terceiro homem do meio-campo.

Felipe Melo, do Palmeiras, é exemplo dos veteranos em fim de carreira no futebol brasileiro (Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras)
Felipe Melo, do Palmeiras, é exemplo dos veteranos em fim de carreira no futebol brasileiro (Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras)

Dali em diante foram mais dez triunfos, incluindo a campanha do título da Copa das Confederações de 2009 e dois jogos da Copa de 2010, na África do Sul. Felipe Melo sempre foi titular nesta sequência, enquanto Ramires começou quatro jogos e em outras seis vezes saiu do banco para atuar com o companheiro. O técnico da seleção brasileira durante todo este período foi Dunga.

A história da dupla só não foi maior porque Felipe Melo deixou de ser convocado a partir da Copa de 2010, na qual foi apontado como vilão e um dos responsáveis pela eliminação nas quartas de final contra a Holanda. Ramires seguiu sendo lembrado por mais quatro anos e atuou em todos os jogos da campanha da Copa de 2014.

Antes de repetir no Palmeiras a parceria vitoriosa, Ramires deve passar por um cronograma personalizado para retomar a forma física. Ele não jogou uma partida sequer em 2019 e apenas uma em 2018, o que aumenta a cautela de Felipão quanto ao prazo de sua estreia.

"Não precisamos fazer com que ele corra contra o tempo. Temos de ter tranquilidade para ele ir se adaptando", disse o técnico nesta semana, quando não mediu elogios ao novo comandado. "É um excelente jogador, que participa de quatro posições com uma dinâmica maravilhosa. É mais um atleta que temos para fazer frente a tudo aquilo que pretendemos."


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados