Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Pai, mãe e filho são encontrados esquartejados em casa

Notícias

Polícia

Pai, mãe e filho são encontrados esquartejados em casa


 (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
(Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Um homem é acusado de matar e esquartejar os cunhados e o sobrinho. O suspeito está foragido e a polícia acredita que ele tenha fugido do país.

Irma Morante Sanizo, 38, Jesus Reynaldo Condori Roque, 39,  e o filho, Gian Abner Morante Condori de 8 anos, estavam desaparecidos desde o dia 23 de dezembro. Parentes das vítimas, que eram bolivianas, chegaram a fazer uma campanha na internet.

Os corpos da família foram encontrados no início da noite de terça-feira (8) em uma residência que havia sido alugada recentemente por Gustavo Vargas Arias de nacionalidade boliviana, cunhado e também funcionário do casal.

De acordo com a Polícia Militar, a família morava no Brás, no centro de São Paulo, e eram proprietárias de uma confecção na mesma região.

Policiais militares chegaram ao local em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo com o auxílio da esposa do boliviano Vargas, que teria praticado o crime, e de dois homens, que o ajudaram na mudança de equipamentos e máquinas de costura para o imóvel.

Assim que os PMs chegaram na casa, sentiram um odor muito forte e encontraram três malas e um saco plástico no banheiro. Ao verificar o conteúdo, os militares descobriram os corpos esquartejados da família divididos em sacos pretos. 

Segundo a investigação, os dois amigos do acusado o ajudaram a levar objetos e equipamentos para o imóvel prestaram depoimento e negaram a participação no crime.

O suspeito

Gustavo Vargas Arias, cunhado do casal, era funcionário das vítimas e costumava contratar compatriotas para trabalhar na confecção. No último dia 23, o boliviano teve um desentendimento com o casal, que não foi mais visto. No dia seguinte, Vargas chegou em casa embriagado e com o menino Gian, o que deixou a esposa bastante desconfiada.

Três dias depois, o suspeito alugou a residência em Itaquaquecetuba e pediu a ajuda de dois amigos para transportar máquinas de costura e outros equipamentos até o local. Desde então, ele também desapareceu.

Nesta terça-feira, desconfiada dos sumiços do marido, do casal e da criança, a mulher de Vargas acionou a Polícia Militar.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados