search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Operação mira servidores da Sejus que cobravam pagamento de detentos em troca de regalias

Notícias

Polícia

Operação mira servidores da Sejus que cobravam pagamento de detentos em troca de regalias


Foi deflagrada nesta quarta-feira (13) a operação Hagite cujo objetivo é cumprir mandados de prisão preventiva contra dois servidores da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) suspeitos de receberem valores de detentos em troca de benefícios.

A operação é resultado de uma investigação que identificou a prática de crimes de corrupção passiva e associação criminosa dentro de unidades prisionais. Um terceiro servidor será afastado da função e também serão cumpridos mandados de busca e apreensão em residências e repartições públicas.

A operação é realizada pelo Ministério Público do Estado do Espírito Santo por intermédio dos Promotores de Justiça que integram o Grupo Especial de Trabalho em Execução Penal (GETEP), com apoio da Secretaria de Estado da Justiça representada pela Diretoria de Inteligência Prisional (DIP), e a Corregedoria do órgão e o Núcleo de Repressão as Organizações Criminosas e a Corrupção (NUROC).

"As investigações ainda estão em curso com o objetivo de esclarecer outras denúncias, não se descartando que outras medidas possam ser adotadas na hipótese da descoberta do envolvimento de outros funcionários públicos nas irregularidades investigadas", diz a nota enviada pelo MP-ES.

Em nota, a Sejus disse que está colaborando com as investigações.

A Secretaria da Justiça informa que colabora com as investigações, que são conduzidas pelo Ministério Público e o Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc). A Sejus enfatiza que não compactua com atos ilícitos que comprometam a boa gestão e transparência nas ações do sistema penitenciário e segue em colaboração para a continuidade da operação.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados