Notícias

Economia

Odebrecht vai construir porto com 4.500 vagas de emprego no Estado


Projeção do porto da Petrocity, que terá investimento inicial de R$ 2,1 bilhões e terá capacidade para movimentar 11 milhões de toneladas por mês. Foto: Fotos: Petrocity
Projeção do porto da Petrocity, que terá investimento inicial de R$ 2,1 bilhões e terá capacidade para movimentar 11 milhões de toneladas por mês. Foto: Fotos: Petrocity

A Odebrecht é a empresa que vai construir o porto da Petrocity, em Urussuquara, São Mateus, Norte do Estado. Primeiro a empreiteira vai atuar no desenvolvimento do projeto, e depois, na implantação, quando vai criar, no pico da obras, 2.500 empregos. Para a operação serão mais 2 mil vagas, num total de 4.500. A informação foi dada com exclusividade na edição do jornal A Tribuna desta quinta-feira (3).

As obras têm previsão de início no primeiro trimestre de 2019 e conclusão em 2021. O projeto técnico conta com quatro terminais de carga, em um único cais de 1.800 metros quadrados, com 16 metros de profundidade e 1,5 milhão de metros quadrados de retroárea.

Durante a construção, as vagas serão para profissionais como engenheiros, pedreiros, armadores e soldadores. Na operação, serão contratados arquivistas, vigilantes, motoristas, servente de limpeza, médico do trabalho, entre outros.

As vagas devem ser abertas até o início do ano que vem, e o processo seletivo será pelo Sine de São Mateus, com prioridade para mão de obra do município, sobretudo das comunidades impactadas.

Segundo o diretor-geral da Petrocity, José Roberto Barbosa, o porto, que está em fase de licenciamento ambiental, será um dos maiores do País e terá um investimento inicial de R$ 2,1 bilhões.

Ele terá capacidade para movimentar 11 milhões de toneladas de cargas por mês, incluindo contêineres, veículos, produtos agrícolas, rochas ornamentais, celulose e produtos para exploração de petróleo offshore (em alto-mar).

“Os acionistas escolheram a Odebrecht por critérios técnicos. Fizemos uma análise de todo o mercado pelo perfil e o número de portos construídos. A construtora oferece toda a expertise que a gente precisava, além de fortalecer a indústria nacional”, frisou Barbosa.

A Odebrecht confirmou que assinou acordo de exclusividade na construção do porto, mas não disponibilizou ontem um porta-voz para tratar do tema. O anúncio oficial é previsto para esta semana.

Estações

Para dar suporte ao terminal, duas unidades de energia fotovoltaica, uma estação de tratamento de água e uma estação de tratamento de efluente estão em licenciamento ambiental. A previsão é que mais 300 pessoas sejam contratadas para a construção delas.

Saiba mais sobre este projeto no Jornal A Tribuna desta quinta-feira (03).