Flávio Dias

Flávio Dias


O maior de todos!

Cesar Cielo venceu os 50m livre (Foto: Satiro Sodré/SS Press/CBDA)
Cesar Cielo venceu os 50m livre (Foto: Satiro Sodré/SS Press/CBDA)
Quando eu era criança e dava (ou tentava dar) minhas braçadas, todo nadador queria ser Ricardo Prado. Era ele, então, o nome mais famoso da natação brasileira. Medalhista de prata na Olimpíada de Los Angeles/1984 nos 400m medley, e recordista mundial na mesma prova dois anos antes.

Já na década de 90 e início dos anos 2000, todos queriam ser Gustavo Borges. Vice-campeão olímpico nos 100m livre em Barcelona/92 e nos 200m livre em Atlanta/96. Também em 96, foi bronze com o revezamento 4x100m livre! Com o revezamento, subiria novamente em um pódio olímpico com o bronze em Sydney/2000. Isso sem contar as medalhas de ouro, prata e bronze em Mundiais.

Fernando Scherer e Thiago Pereira também foram ídolos e lendas da natação tupiniquim.

Mas arrisco que nenhum deles foi do tamanho do Cesar Cielo! “Quem viu, viu. Quem não viu, vai ter que ver pelo YouTube...”. As palavras são dele mesmo, após vencer os 50m livre no Troféu José Finkel, com índice para o Mundial deste ano, na China. Na mesma competição, venceu também os 100m livre! Isso com 31 anos.

Campeão olímpico nos 50m livre em Pequim/2008; bronze olímpico nos 100m livre em Pequim/2008; bronze nos 50m livre na Olimpíada de Londres/2012; tricampeão mundial nos 50m livre, bicampeão mundial nos 50m borboleta; bicampeão mundial nos 100m livre em piscina curta.

Cielo entra na minha lista dos ídolos brasileiros que não sofreram do complexo de vira-latas. Foram aqueles que chegaram ao topo, assumiram o favoritismo e continuaram vencendo. Não se permitiram perder de véspera, nunca se fizeram de coitados por terem saído de um País que não dá a mínima para o esporte e só lembra dos seus atletas quando estes estão no pódio.

Cesar Cielo, Ayrton Senna, Nelson Piquet, Gustavo Kuerten, Bernardinho, José Roberto Guimarães estão nessa lista. Por sorte, vi todos eles em atividade e não vou precisar do YouTube. Dá para aumentar o time, mas não tem tanta gente assim faltando…

***

Que marra!

Renato Gaúcho comemora com Everton o gol salvador (Foto:  LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA)
Renato Gaúcho comemora com Everton o gol salvador (Foto: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA)
Renato Gaúcho é um personagem e tanto do futebol brasileiro. Sempre foi. E continua sendo.
O Grêmio se salva de uma eliminação aos 47 minutos do segundo tempo! Avança nos pênaltis. E ele, na entrevista, tira onda e finge que estava tudo controlado! “Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura!”, disparou o treinador.

Renato Gaúcho é tão sensacional que até os torcedores dos times adversários, no fundo, torcem por ele. Fica o desejo de termos mais Renatos no futebol brasileiro.