Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

O desafio de tratar a dependência química
Tribuna Livre

O desafio de tratar a dependência química

A dependência química é uma doença complexa, já considerada um dos maiores desafios de saúde pública no País. Diferentes pesquisas mostram o aumento do uso de drogas em todas as classes sociais. A ONU estima que 158,8 milhões de pessoas, ou 3,8% da população entre 15 e 64 anos, consumam drogas no mundo.

E o Brasil é o maior mercado de derivados de ópio (como a heroína) na América do Sul, com estatísticas que apontam que cerca de 600 mil pessoas consomem a droga – considerada altamente viciante, já que uma pequena dose pode ser capaz de aumentar os níveis de dopamina do usuário em cerca de 200%, só para citar um exemplo.

A questão é que o caminho para a dependência química tende a ser curto enquanto o percurso que leva à recuperação é longo, custoso e multifacetado, com características específicas de acordo com as drogas envolvidas, o perfil do indivíduo, entre outros inúmeros fatores sociais, biológicos e comportamentais.

Em comum, uma realidade alarmante que precisa ser enfrentada e que gera demandas que passam pela saúde, pelo mercado de trabalho e pela segurança pública, por exemplo.

Já está posto que os melhores programas de tratamento são aqueles que reúnem uma combinação de terapias e outros serviços para atender as especificidades de cada caso.

Trata-se da primeira orientação do Instituto Nacional de Abuso de Drogas, que defende 13 princípios de tratamento e define como “número 1” a premissa de que um único tratamento padronizado não é apropriado para todos os indivíduos.

Combinar locais de tratamento, intervenção e serviços para os problemas e necessidades de cada paciente em particular é indispensável para garantir o retorno pleno e produtivo à família, ao local de trabalho e à sociedade.

Os 13 princípios defendem uma abordagem médica, psicológica, social, vocacional e legal individualizada e personalizada. Cabem aos profissionais de diversas áreas avaliarem, de forma permanente e conjunta, as combinações de tratamento durante o processo de recuperação.

Princípios que abordam a duração e a medicação também devem considerar a individualidade de cada um, sua idade, gênero, etnia e cultura.

Importante perceber que outros princípios que falam, por exemplo, de terapias comportamentais, internações e métodos de desintoxicação também defendem a avaliação integral do dependente.

Fundamental é reafirmar que restaurar o funcionamento pleno do dependente químico requer um trabalho em equipe, que deve estar preparada para avaliar as necessidades múltiplas do paciente.

Tratar a dependência química não é apenas curar os efeitos que as drogas causam no indivíduo e, sim, reorganizar o indivíduo por completo.

Governo e sociedade já entenderam que a prioridade é desintoxicar, tratar e auxiliar os dependentes químicos a voltarem ao convívio social. Que a dependência química é uma doença crônica e grave, traz complexidades em seu tratamento e tem sido ampliada com o aumento do desemprego, da pobreza e da desigualdade social.

São desafios de saúde que envolvem muitas áreas e infinitos esforços. Refletir, abrir espaço para o debate e assumir responsabilidades, buscando os melhores caminhos, deve ser um compromisso de toda a sociedade. 

Luis Henrique Casagrande é psiquiatra e presidente da Associação Capixaba de Clínicas Psiquiátricas do Espírito Santo.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

Um Barracão de memórias

Bianualmente, sempre no mês de julho, ex-alunos do antigo Colégio Agrícola de Santa Teresa se reúnem para um grande encontro festivo. Memórias de um período de vida que marcou toda uma geração, e na …


Exclusivo
Tribuna Livre

A nova cobertura dos benefícios do INSS

O Governo Federal poderá abrir uma concorrência para acabar com o monopólio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na cobertura dos chamados benefícios de risco não programados, como auxílio-d…


Exclusivo
Tribuna Livre

A pasta para dentes e a propaganda abusiva

No Ocidente, os egípcios e gregos foram os primeiros a compor uma mistura para limpar os dentes. A fórmula era bastante variada (cinzas, casca de ovo, pedra-pomes, ervas, carvão, hortelã...). …


Exclusivo
Tribuna Livre

A música romântica e a visão de mundo

Em 1995 escrevi algo sobre a as diferenças entre o romantismo pós-wagneriano e o estilo francês (impressionista, pós-impressionista, de Stravinsky, de Satie, etc). Hoje, retomo ao tema, estando …


Exclusivo
Tribuna Livre

Mercado de trabalho e o profissional do futuro

Com um mercado de trabalho que muda a cada dia, muitos profissionais ficam em dúvida sobre qual caminho seguir. Afinal de contas, vale a pena investir em uma profissão do futuro? Quando é o momento …


Exclusivo
Tribuna Livre

Isenção do “imposto sobre a herança” no Espírito Santo

Como defensor público titular da 2ª Defensoria de Órfãos e Sucessões de Cariacica efetuo diariamente orientações aos meus assistidos sobre as regras legais para a elaboração de inventários e …


Exclusivo
Tribuna Livre

Dragagem ainda não trouxe os resultados esperados

As obras de dragagem no Porto de Vitória foram concluídas em outubro de 2017. A tão esperada dragagem previa que o canal passaria de uma profundidade de 11,7 metros para 14 metros e de 11,7 metros …


Exclusivo
Tribuna Livre

A intolerância do preconceito

Mais uma vez, ficamos chocados com ondas de ataques simultâneos às pessoas inocentes, morrendo, sem motivo aparente, senão à cor que mais uma vez se manifesta diante do racismo radical, abalando a …


Exclusivo
Tribuna Livre

Competindo com eficiência

O Espírito Santo é o maior produtor mundial de pelotas de minério de ferro e o terceiro maior produtor de aço do Brasil, sendo que, juntos, os dois setores representam mais de 20% do PIB estadual, …


Exclusivo
Tribuna Livre

A polêmica “PL do saneamento”

Desde a edição da Medida Provisória (MP) 868 no ano passado, a necessidade de se estabelecer um novo Marco Regulatório sobre Saneamento Básico no País está em voga. É que na última década, os …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados