search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

O academicismo como ferramenta de aprendizado
Tribuna Livre

O academicismo como ferramenta de aprendizado

Aprimeira academia institucional surgiu na França no século XVI. A academia Francesa foi uma associação composta pelas mais proeminentes pessoas instruídas nos assuntos relativos ao idioma Francês. Criada em 1635 por Richelieu, foi fechada em 1793, durante a revolução francesa, e novamente instituída por Napoleão Bonaparte, em 1803.

Foi instaurada invocando-se o “sítio de Akademues” - local da Grécia antiga onde teria sido os jardins dos heróis Akodemus e escolhido por Platão para ministrar suas palestras aos discípulos – recebendo aquele lugar o nome de “Akademia”.

No Brasil o academicismo surgiu no século XVII, conhecendo um pródigo movimento acadêmico, que congregava diversos letrados. Tais movimentos propagaram-se por várias regiões e, em momentos diferentes, ditaram regras ou seguiram de perto cânones artísticos.

No século XIX, agremiações semelhantes, mas com propósitos diversos, passaram a ser confundidos com certa oficialidade intelectual, e nesse sentido a Academia Imperial de Belas Artes (1816) pode ser tomada como uma precursora.

Já no final desse mesmo século, com a criação da Academia Brasileira de Letras (1896), por escritores e intelectuais como Lúcio Mendonça, Machado de Assis, Olavo Bolac, Graça Aranha, Joaquim Nabuco, e Ruy Barbosa. Tendo por objetivo o cultivo da língua portuguesa e da literatura Brasileira.

No Espirito Santo, o academicismo surgiu no início do século XX, quando foi fundado em 1921 a Academia Espiritosantense nos mesmos moldes da Academia Francesa e Brasileira, por incentivo de intelectuais como Alarico de Freitas, Garcia de Rezende e Elpidio Pimentel, com a finalidade de congregar os intelectuais e orientar o movimento literário capixaba.

A grande novidade e motivo de orgulho para todos os capixabas é que o academicismo entre os jovens nasceu no Espirito Santo no início desse século (2001), quando Leonardo Monjardim, reuniu um grupo de jovens escritores e formalizou o que viria a ser a primeira Academia Jovem de Letras do Brasil, servindo de modelo para outros Estados.

Agora, a proposta é institucionalizar a Academia Estudantil de Letras nas escolas do nosso Estado, contemplando alunos entre 10 e 15 anos, com o objetivo de fomentar a formação de novos escritores.

Acredito, que o letramento é o resultado da ação de ensinar ou aprender a ler e escrever, assim como a decorrência do uso dessas habilidades em praticas sociais.

A leitura e a escrita são ferramentas importantes para todo e qualquer indivíduo inserido dentro da sociedade; ambos são considerados tipos específicos do comportamento verbal e estão dentre as tecnologias intelectuais, que proporciona aos indivíduos estilos de pensamentos diferentes sendo eles habilidades necessárias para a formação de todo e qualquer ser humano.

Daí a importância de criarmos estratégias e ferramentas para estimular crianças e jovens a ler e escrever. Por isso acredito no projeto da Academia Estudantil de Letras, como politica pública na educação do nosso País.

E penso que podemos ser pioneiros nesse modal de gestão da educação, institucionalizando as academias estudantis de letras nas escolas dos nossos municípios e estados.

Leonardo Monjardim é membro da Academia Espírito-santense de Letras.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

Ministério Público transforma a realidade e a história do Brasil

O dia 14 de dezembro é uma data muito importante em nosso calendário nacional. Talvez alguns não se recordem, mas é sempre bom fazer menção a esta conquista histórica. Nesta data, celebramos o Dia …


Exclusivo
Tribuna Livre

Tempos atuais caminham para a fusão entre Igreja e Estado

Os brasileiros, em geral, são de uma cultura que dá pouca atenção à história. Há 128 anos, a República brasileira foi implantada separando Igreja e Estado. Porém, a questão da relação entre Religião …


Exclusivo
Tribuna Livre

O custo socioeconômico da “imobilidade” urbana no Brasil

Um estudo realizado pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) mostra que o custo socioeconômico da “imobilidade” urbana no Brasil cresceu 7% em um ano e se aproxima de meio trilhão de …


Exclusivo
Tribuna Livre

A engenharia muda o mundo e está em tudo o que nos cerca

Com o ritmo acelerado da vida contemporânea, quase nunca nos sobra tempo para refletir sobre o mundo a nossa volta. Mas, se pararmos para pensar, concluímos que a engenharia está em tudo o que nos …


Exclusivo
Tribuna Livre

Ineditismo e vanguarda: o Marco Regulatório das Startups

Foi publicada, no último dia 26 de novembro, a Lei Complementar Estadual nº 929/2019, de iniciativa do Governador do Estado, que institui instrumentos e procedimentos para o fomento às parcerias …


Exclusivo
Tribuna Livre

Sábio é quem aprende com a experiência alheia

Na semana passada, tivemos por aqui, nos Estados Unidos, a celebração do famoso feriado de Thanksgiving (Dia de Ação de Graças, destinado a agradecer a Deus os bons acontecimentos do ano). Aproveitam…


Exclusivo
Cidades Tribuna Livre

É preciso priorizar a mobilidade das pessoas e não dos veículos

Todos querem viver numa cidade que ofereça uma boa qualidade de vida. Para tanto, faz-se necessário compreendermos a “mobilidade peatonal”, reconhecendo os pedestres nos planejamentos estratégicos …


Exclusivo
Tribuna Livre

Por que o Tribunal de Contas deu certo

O Tribunal de Contas do Espírito Santo completou 62 anos de existência em 2019. Por desairosa que seja, a verdade é que, ao longo do tempo, consumiu imensos recursos públicos em ajustes políticos que …


Exclusivo
Tribuna Livre

Os jogos precisam ser legalizados no Brasil

O ano era 1946. No dia 30 de abril, foi publicado o Decreto Lei 9215 que proibiu os (erroneamente) denominados jogos de azar. Os fundamentos da proibição? Que a repressão aos jogos de azar é um …


Exclusivo
Tribuna Livre

O ônus do Judiciário e o Legislativo que joga para a plateia

Não é a primeira vez, e certamente não será a última, que vivenciamos certas articulações, no núcleo do poder, com o objetivo, simplesmente, de tentar limpar imagens manchadas e acalmar os ânimos da …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados