Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Nome em aliança leva a prisão de assaltante

Notícias

Polícia

Nome em aliança leva a prisão de assaltante


Agente da Guarda mostra aliança que estava com suspeito. (Foto: Divulgação/Guarda Municipal da Serra)
Agente da Guarda mostra aliança que estava com suspeito. (Foto: Divulgação/Guarda Municipal da Serra)
O nome gravado em uma aliança foi a pista que levou guardas municipais da Serra a prenderem um homem suspeito de participação em dois assaltos em residências no Norte e no Noroeste do Estado.

Os crimes aconteceram nessa terça-feira (10) e o suspeito foi preso com parte do material roubado, no bairro Lagoa de Jacaraípe, na Serra, nesta quarta (11). Nos assaltos, que ocorreram em Vila Valério e Jaguaré, cinco criminosos fortemente armados invadiram as residências, fizeram as famílias reféns e roubaram armas, dinheiro e diversos pertences das vítimas. O prejuízo em um dos assaltos foi de aproximadamente R$ 60 mil.

Os criminosos também levaram um veículo de cada casa, que usaram para fugir. Um dos carros já foi recuperado. Ontem, durante uma abordagem de rotina, os guardas da Serra encontraram objetos suspeitos com o auxiliar de acabamento Erisvaldo Bonfim, 41 anos, que caminhava pela rua Caetano.

“O conduzido viu a viatura e ficou nervoso. Ele estava indo para um sentido e, quando viu a viatura, trocou o sentido e começou a andar rápido, por isso, decidimos abordá-lo”, explicou o agente da Guarda Municipal Abner Lopes.

No meio do material, havia uma aliança com um nome gravado. Foi com esse nome que os agentes da Guarda encontraram no sistema da polícia o Boletim de Ocorrência do roubo em Vila Valério.

“A gente suspeitou porque ele não soube informar a procedência desse material. Vimos que havia uma aliança com um nome gravado e decidimos jogar esse nome no sistema. Consultamos junto à Central de Videomonitoramento e constatamos que era material do roubo lá em Vila Valério”, detalhou o guarda.

Material apreendido com o suspeito. (Foto: Divulgação/Guarda Municipal da Serra)
Material apreendido com o suspeito. (Foto: Divulgação/Guarda Municipal da Serra)
Os agentes, então, fizeram contato com as vítimas, que reconheceram o suspeito em uma foto. Na mochila de Erisvaldo, estavam um computador, joias, uma carteira com R$ 456 e um tablet. O computador e joias são das vítimas do crime em Vila Valério. Já o tablet é fruto do assalto em Jaguaré.

Erisvaldo foi levado à 3ª Delegacia Regional da Serra, onde prestou depoimento. As vítimas foram orientadas a comparecer à delegacia. A Polícia Civil afirmou que o caso segue sob investigação na Delegacia de Jaguaré e não deu outras informações à imprensa. Mas a relação entre os dois roubos foi confirmada pela Guarda Municipal. Os agentes conversaram com as vítimas dos dois assaltos, que reconheceram Erisvaldo como participante dos crimes.

Intervalo de seis horas entre assaltos

Em um intervalo de pouco mais de seis horas, cinco bandidos entraram em duas casas e renderam um casal e cinco pessoas de outra família. As primeiras vítimas vivem no município de Jaguaré, Noroeste do Estado. Após assaltá-las os criminosos seguiram para Vila Valério, na região Norte.

Segundo a polícia, o primeiro roubo por volta do meio-dia dessa terça-feira (10). Os cinco assaltantes armados e encapuzados entraram em uma casa em Jaguaré, onde um casal dormia. O homem disse à polícia que cochilava na varanda. A mulher dormia no quarto. Os bandidos anunciaram o assalto e trancaram as duas vítimas no quarto.

De acordo com as informações prestadas à polícia, enquanto o casal estava no quarto, um disparo de arma de fogo foi efetuado na cozinha. Não ficou esclarecido, porém, o que teria motivado o tiro. Ninguém se feriu.

Os criminosos roubaram diversos objetos e fugiram levando também uma caminhonete S10. A Polícia Militar realizou buscas na região, mas nenhum suspeito foi encontrado naquele momento.

Já no início da noite, por volta das 18h30, o alvo dos bandidos foi uma família de cinco pessoas, em Vila Valério. Os cinco criminosos pularam o muro da residência e renderam, inicialmente, quatro pessoas. As vítimas são um agricultor de 44 anos, a mãe dele, 66, e os dois filhos dele, uma menina de 13 anos e um rapaz de 18.

Os bandidos mandaram as quatro pessoas aguardarem dentro de um quarto, enquanto recolhiam os objetos pela casa. Foram roubadas duas armas de fogo, um computador, joias e cerca de R$ 15 mil em espécie. O prejuízo total é de cerca de R$ 60 mil.

Antes que os criminosos saíssem, a mulher do agricultor, uma professora de 40 anos, chegou ao local em uma caminhonete Hilux preta. Ela também foi rendida e os bandidos fugiram levando o material recolhido e o veículo. A Hilux foi recuperada pouco tempo depois, na mesma cidade.

Cerca de 18 horas após o segundo crime, Erisvaldo Bonfim, 41, foi preso, na Serra, com parte do material roubado.

"Tinha medo que tirassem a vida de alguém"

Uma professora de 40 anos foi surpreendida pelos criminosos ao chegar em casa. Ela não estava na residência quando eles anunciaram o assalto e contou que levou um grande susto ao entrar com seu carro na garagem e ser recebida por um assaltante armado e encapuzado.
“Nem acreditei que aquilo estava acontecendo”, disse a professora, que, com medo, não quis se identificar.

A Tribuna - Como os bandidos entraram na casa?

Professora - Eles abordaram primeiro meu marido, meus dois filhos e minha sogra, que estavam em casa. Eu ainda não tinha chegado. A casa estava aberta. Os assaltantes pularam o muro e abordaram quem estava em casa. Quando eu cheguei, eles abriram a porta para mim, mas eu achei que era meu marido. Quando eu desliguei a caminhonete, um bandido encapuzado já me abordou na minha varanda.

Quando a senhora entrou na casa, o que viu?

Já estava tudo mexido, pegaram tudo. Cheguei com a caminhonete, aí me roubaram a caminhonete, estava com a minha bolsa dentro do carro, com muito dinheiro, e levaram tudo. Além das coisas que pegaram dentro da minha casa, como joias, arma e relógios, ainda pegaram uns R$ 15 mil em espécie.

Qual foi a sensação?

Tomei um susto muito grande. Nem acreditei que aquilo estava acontecendo. Só rezei, rezei, rezei, e Deus teve misericórdia, e acabou tudo bem.

Eles fizeram ameaças?

Não. Foram tranquilos. Só mandavam que ficássemos de cabeça baixa. Me colocaram em um quarto, o mesmo onde estava a minha família. Ficamos sentados na cama e no chão.

Todos os criminosos estavam de capuz? Eram quantos?

Eram cinco. Esse que pegaram hoje, segundo o meu marido, não estava de capuz, só estava de boné. Todos estavam armados.

O que passava pela sua cabeça?

Eu tinha muito medo que tirassem a vida de alguém.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados