Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

No topo da cadeia alimentar
Painel da Folha de São Paulo

No topo da cadeia alimentar

Com a avaliação quase inalterada na base da pirâmide econômica, a maior mudança na percepção do governo Bolsonaro ocorreu nas elites, revela o Datafolha. Em comparação com a pesquisa anterior, os que ganham de cinco a dez salários mínimos expressaram uma visão mais crítica, enquanto os que têm renda acima desta marca ampliaram a aprovação. No primeiro time, os que taxam a gestão como ótima ou boa recuaram de 43% para 37%. No segundo, saltaram de 41% para 52%.

Embicou - Entre os de renda de cinco a dez mínimos, a avaliação de Jair Bolsonaro oscilou para pior em todos os quesitos. Além do número dos que veem seu governo como ótimo e bom ter encolhido, o dos que o classificam como regular passou de 26% para 29%, e o dos que o tratam como ruim ou péssimo de 28% para 32%.

Daqui do alto - Já a percepção dos mais ricos fez trajetória oposta. Na faixa dos que ganham mais de dez salários mínimos, além do salto na aprovação do presidente, o índice dos que veem sua gestão como regular passou de 26% para 15%, e como ruim e péssima de 37% para 32%.

Caminhos da fé - Os católicos seguem fazendo uma avaliação mais crítica do que os evangélicos do desempenho do presidente. No primeiro segmento, 66% dizem que Bolsonaro fez menos do que esperavam. No segundo, o índice de frustração é de 56%.

Santo de casa - Entre os que apontam o PSL como partido de preferência, os que diziam que o presidente fez menos do que esperavam eram 13% em abril. Agora são 24%.

Bateu, valeu - A equipe jurídica do governo não prevê uma enxurrada de questionamentos à reforma da Previdência na Justiça após a tramitação no Congresso. O discurso é o de que, dado o tempo alongado de debate, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) terão informações para pacificar a discussão em no máximo um ano.

Prevenir - O governo aposta que apenas sindicatos e siglas de oposição levarão questionamentos ao STF. A Advocacia-Geral da União (AGU) montou equipe só para monitorar e orientar o debate no Congresso. Tenta, com isso, evitar brechas que alimentem processos.

Meninos de ouro - Boa parte da equipe de Rogério Marinho, secretário especial da Previdência, é formada por servidores da AGU. Bruno Bianco, por exemplo.

Hora... - A revelação na Folha e no The Intercept de que procuradores e o ex-juiz Sérgio Moro discutiram a exposição de trechos da colaboração da Odebrecht que tratavam de desvios cometidos na Venezuela levou ex-executivos e advogados que acompanharam o caso a relembrarem o que chamam de "os momentos mais tensos de todo o processo".

...do pesadelo - Quando a delação vazou, funcionários da empreiteira e defensores contratados para negociar um acordo naquele país foram alvo de ameaças. A Venezuela disparou alerta vermelho de captura na Interpol contra uma advogada e o então executivo Euzenando Azevedo.

Salve-se quem puder - A empreiteira chegou a elaborar um plano de fuga para os profissionais que havia enviado ao país de Nicolás Maduro. Muitos queriam deixar os locais em que estavam para se abrigar na embaixada, mas foram orientados a não saírem de seus hotéis.

Pouco caso - O fato de procuradores terem debatido o risco de retaliação do governo venezuelano e, ainda assim, o vazamento ter ocorrido foi criticado por pessoas que viram essa confusão de perto.

Caixa-preta - A deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF), vice-presidente da CPI do BNDES, pediu informações ao Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o pagamento de participação nos lucros a funcionários no período em que o banco fechou operações que resultaram em perdas para o Tesouro, como os empréstimos para obras em Cuba e Venezuela.

Onde pega - A deputada não crê em pagamento de propina a funcionários, mas cogita vista grossa a operações duvidosas em nome da bonificação.

Você também - Após o depoimento de Antonio Palocci à CPI, parlamentares querem investigar instituições financeiras que lançaram títulos de dívida da JBS.

Tiroteio
"O nazismo tinha o apoio majoritário da Alemanha no fim dos anos 1930, mas isso não torna o holocausto aceitável."

Do senador Renan Calheiros (MDB-AL), após o presidente dizer que caberá ao povo avaliar sua reação a diálogos de Moro e procuradores.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Problema tem família grande

Ao implodir o PSL, Jair Bolsonaro praticamente sepultou as chances de migrar para uma legenda de grande ou médio porte. Dirigentes de partidos de centro-direita dizem ser "muito difícil" encontrar …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

À mulher de César

Além de dar ares de crise incontornável ao impasse entre Jair Bolsonaro e seu partido, a batida da Polícia Federal que atingiu o presidente do PSL, Luciano Bivar (PE), ampliou a desconfiança entre o …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

O teto é o limite

A ofensiva de deputados para debater proposta de emenda constitucional que autorize prisão após segunda instância nesta terça (15), dois dias antes de julgamento no STF, foi vista com ceticismo por …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Engata a primeira

Apontado como meta logo no início da gestão de Dias Toffoli na presidência do Supremo, o projeto de acelerar a solução de impasses judiciais que travam obras em todo o país entra agora em fase …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Bate e volta

Sob ofensiva de Jair Bolsonaro, o PSL decidiu se armar. Dirigentes dizem que a sigla já está cotando, por conta própria, empresas que possam analisar suas contas – o presidente cobra auditoria de …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Tela em branco

Integrantes da equipe econômica sugeriram incluir na reforma administrativa um dispositivo que proíba servidores públicos de terem filiação político-partidária. A vedação foi alvo de debates, na …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Pediu? Agora aguenta

O fragilíssimo equilíbrio do PSL implodiu com os últimos atos de Jair Bolsonaro. Deputados que manifestaram intenção de deixar a sigla ou que a atacaram publicamente, acompanhando o presidente, serão …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Soneto de separação

A cúpula do PSL não assiste inerte à movimentação de Jair Bolsonaro e de um grupo de deputados para se distanciar do partido. Ao contrário. A direção da sigla traça, há semanas, cenários para …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Maçã envenenada

Soou como tiro de alerta entre procuradores e juízes o telefonema, revelado pela Folha, nesta segunda (7), em que Marco Aurélio Canal, um dos auditores da Receita presos pela Lava Jato do Rio, disse …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Cai o véu

Para além do impacto da revelação, na Folha, de que a apuração sobre candidaturas laranjas no PSL de Minas levou a menções à campanha de Jair Bolsonaro, foi a reação de Sergio Moro (Justiça) à …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados