Mulher, a equilibrista

Era ainda menina e sonhava em construir a minha família. Igualmente me motivava construir uma carreira em que eu pudesse fazer a diferença na vida das pessoas. Meu avô me ensinou ainda criança que quando eu sonhasse acordada, precisava fazê-lo colorido e em movimento, como se já me visse lá, vivendo, em detalhes. Se a gente pode sonhar, a gente pode realizar.

Casei com Gustavo aos 21 anos, formei-me engenheira e sonhamos juntos com nosso primeiro filho. Tivemos dois filhos enquanto ainda era consultora, e isso exigiu-me uma curta licença maternidade de um mês, muita flexibilidade e equilíbrio para as entregas dos desafios pessoais e profissionais que se apresentavam.

Se o 8 de março é o Dia Internacional das Mulheres, toda a minha homenagem às mulheres que vivem intensamente, todos os dias do ano, os múltiplos papéis que a vida lhes oferece. E o propósito da minha mensagem é contribuir com o encorajamento das mulheres, especialmente àquelas que ainda acreditam que precisam escolher entre realizar-se pessoal ou profissionalmente.

Compartilho com as mulheres a inquietude boa da alma feminina, que nos move a viver a rotina com intensidade, primando pela excelência em tudo o que fazemos. Mulheres que se movem para viver plenamente os seus papéis e construir uma caminhada pessoal e profissional para orgulhar-se!

Sou apaixonada pela escrita envolvente e afetuosa de Rubem Alves. No texto “Ostra feliz não faz pérola”, relata que a ostra, para fazer uma pérola, precisa ter dentro de si um grão de areia que a faça sofrer.

Motivada por sua dor, a ostra envolve essa areia pontuda que a machuca com uma esfera lisa que lhe tire as pontas. E assim produz as mais lindas e raras pérolas.

O caminho para a realização feminina não chega sem uma infinidade de obstáculos. Todos nós aprendemos com o amor e com a dor. Pena que a dor nos ensine tão mais rápido e intensamente! A dor é mais profunda e transformadora!

Não há para mim projeto de vida mais lindo e significativo do que a família. E tornei-me muito mais forte e sensível a cada dificuldade que a vida descortinava.

A vida e as empresas não são perfeitas. E lidar com os imprevistos, a dificuldade, a imperfeição e a superação exige-nos humildade, flexibilidade, coragem e resiliência, para continuar lutando quando tudo parece mais confuso e obscuro. A dor prepara o terreno para a resiliência e a superação.

E desenvolver pessoas para o mais alto desempenho comportamental e técnico não é a missão dos pais e dos líderes? A maternidade para gerar os melhores frutos de si. A liderança para construir equipes de alto desempenho.

A liderança é sensível e intuitiva, uma genuína acreditação nas pessoas. O verdadeiro líder desafia, acompanha e patrocina o crescimento, para que cada um busque “sua melhor pérola”, a mais rara, que é capaz de gerar.

Meu especial incentivo e reconhecimento à mulher equilibrista, que vive com intensidade e excelência os papéis que a vida lhe proporciona e que inspira seu time a gerar as mais lindas pérolas!

Paula Barcellos Tommasi Corrêa é diretora executiva da Viação Águia Branca


últimas dessa coluna


Reforma da Previdência é um debate atrasado

Para trazer ao debate questões de ordem demográfica e social, verificamos que nos anos 60, a razão de trabalhadores da ativa versus aposentados era 12 para 1. Em 2000, esta proporção caiu para …


O sentido da vida

Passadas as férias, findo o Carnaval, a agenda do ano novo entra de vez no cotidiano de 2019. Assim, temos como que um replay da questão que sempre marca as viradas: o que faremos do ano que se …


Multipropriedade imobiliária: inovação no registro de imóveis

Tudo o que é novidade gera dúvidas: as maiores inovações vêm carregadas delas. As pessoas questionam, ficam curiosas, pesquisam, se informam e no final colocam tudo na balança para pesar o que vale …


Tragédia em Suzano: fuja do discurso raso!

Diante da recente tragédia ocorrida em uma escola de Suzano (SP), que ceifou vidas e marcou indelevelmente famílias e amigos, a sociedade volta a se perguntar o que pode levar uma pessoa a cometer …


Doutrinação nas escolas vai além de um cabo de guerra político

O período da história do Brasil, que se estendeu da proclamação da República em 15 de novembro de 1889 até o golpe de 1930, liderado por Getúlio Vargas, faz de suas ações um eixo explicativo para …


O homem criminoso e as agressões contra mulheres

A visão da sociedade ainda é muito ingrata com as mulheres, séculos de discriminação e desrespeito não são facilmente apagadas do nosso cotidiano, mas o empoderamento feminino, que é a luta pelo …


Tecnologia ajuda a transformar os motoristas e o trânsito

Mapas atualizados em tempo real, aluguel de bikes, motoristas de aplicativo e até cursos exigidos pelos Departamentos Estaduais de Trânsito, como o de reciclagem para recuperação de Carteira Nacional …


Como se livrar das dívidas? Não é tarefa fácil, mas há luz no túnel

Estamos em março e as famílias sentem no bolso o peso das contas, como material escolar, rematrícula, IPVA, IPTU, Imposto de Renda e por aí vai. Quem dirá, para quem já carrega os débitos antigos. …


Por que precisamos do feminismo no Brasil?

Instituído pelas Nações Unidas e comemorado mundialmente em 8 de março, no Brasil o Dia Internacional da Mulher ganha novos simbolismos ao se tornar um grito por igualdade e justiça. O mês de março …


Nós, as mulheres, devemos dar novo rumo à política

“Quando uma mulher entra na política, muda a mulher. Quando muitas entram na política, muda a política.” Estou deveras convencida de que essa frase, da ex-presidente chilena, a socialista Michelle …