search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Mergulhador morre em operação de resgate de crianças na Tailândia

Notícias

Publicidade | Anuncie

Internacional

Mergulhador morre em operação de resgate de crianças na Tailândia


Morreu nesta sexta-feira (6) um mergulhador da equipe de resgate que tenta tirar um grupo de 12 meninos e um técnico de futebol de uma caverna inundada do norte da Tailândia, onde eles estão desde 23 de junho.

Samarn Kunan era voluntário na operação de resgate. (Foto: reprodução/Faceboook)
Samarn Kunan era voluntário na operação de resgate. (Foto: reprodução/Faceboook)
Segundo as autoridades tailandesas, o ex-militar Samarn Kunan, 38, ficou sem oxigênio enquanto instalava tanques do gás para uma possível retirada do time a nado, por volta da 1h local (15h de quinta-feira, 5, em Brasília).

Kunan havia levado um cilindro e voltava para a base. "Perdeu a consciência no caminho de volta, seu companheiro de mergulho tentou ajudá-lo e levá-lo", disse o chefe de comando da Marinha, Arpakorn Yookongkaew.

Outros socorristas tentaram reanimá-lo, sem sucesso. O corpo foi retirado no início da manhã e enviado a Roi Et, cidade natal do mergulhador. Não se sabe, porém, o quanto a morte afetou os planos da equipe de resgate.

O chefe da Marinha disse que continuará a missão. Questionado por repórteres sobre como crianças poderão deixar a caverna mergulhando se um mergulhador profissional e adulto morreu, afirmou: "Temos que tentar de tudo".

Outra preocupação dos socorristas é com os níveis de oxigênio disponíveis no ar respirável dentro da caverna, que caíram depois que cresceu o número de pessoas que ingressaram ao local.

Os meninos, com idades entre 11 e 16 anos, e o treinador, de 25, estão na caverna há 13 dias. Eles foram achados na segunda (2) e, nos últimos dias, receberam nutrientes, água e tratamento médico para se recuperarem.

Imagens exibidas na quarta (4) pela Marinha mostraram alguns dos meninos em bom estado de saúde. Dois deles e o técnico, porém, estão sofrendo de exaustão devido à desnutrição, segundo a rede de televisão americana CNN. Isso dificulta a retirados por mergulho.

As outras crianças já começaram o treinamento. Dada a proximidade de mais chuvas na região, que poderiam elevar o nível da água na caverna, deixar a caverna mergulhando torna-se esta a única alternativa.

A precipitação deve aumentar a partir desta sexta-feirae continuar em níveis elevados até o fim de semana, o que prejudicará a retirada da água para reduzir o número de pontos por onde os meninos teriam que mergulhar.

A água está sendo bombeada do local, mas trata-se de um trabalho lento, que ficará comprometido caso as chuvas apertem. Eles terão que percorrer 4 km dentro da caverna, o que poderia levar mais de seis horas mergulhando.

As outras alternativas incluem drenar água suficiente para que possam sair andando, perfurar a superfície ou levá-los para uma caverna maior e esperar o fim da temporada de chuvas, em novembro.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados