Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Médicos retiram mais de 40 larvas que comiam cabeça de criança

Notícias

Saúde

Médicos retiram mais de 40 larvas que comiam cabeça de criança


Médicos retiraram mais de 40 larvas que comiam a cabeça de uma criança de 7 anos. O caso aconteceu em Praia Grande, litoral de São Paulo. A menina já está fora de perigo, de acordo com um médico veterinário que acompanha o caso desde o início. As informações são do G1.

O veterinário foi acionado porque as larvas são do tipo "berne", comuns em animais. Os parasitas aparecem depois que ovos de moscas depositados em feridas, por exemplo, eclodem e se tornam larvas.

A garota foi internada na quinta-feira (3) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Samambaia após reclamar de fortes dores e a mãe ter encontrado buracos em sua cabeça. Provavelmente, as dores eram causadas pelas larvas que se alimentavama dos ferimentos da menina.

A criança de 7 anos que teve 40 larvas retiradas da cabeça foi auxiliada por um médico veterinário. (Foto: Acervo Pessoal)
A criança de 7 anos que teve 40 larvas retiradas da cabeça foi auxiliada por um médico veterinário. (Foto: Acervo Pessoal)

Depois disso, a criança ficou em atendimento no local até sexta (4). Posteriomente, foi transferida para o Hospital Irmã Dulce. Ainda segundo o G1, o Conselho Tutelar investiga o caso, que segue em segredo de Justiça. 

De acordo com o médico veterinário Fabiano Miranda, as 40 larvas foram retiradas ainda quando a criança estava na UPA.

"Nas primeiras 24h, ainda no UPA, tiraram mais de 40 "bernes". Mas, ela precisava de uma transferência para atendimento especializado porque já haviam larvas mais profundas que continuavam comendo a cabeça. Então corri atrás disso, divulgando nas redes sociais para que ela fosse transferida ao Hospital Irmã Dulce", explicou.

Embora o estado de saúde da criança não tenha sido revelado, o médico veterinário informou que o risco já está controlado e equipes médicas ainda estão empenhadas em retirar as larvas, que estão mortas.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados