Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Matemática e lógica reprovam 80% dos candidatos a emprego

Notícias

Economia

Matemática e lógica reprovam 80% dos candidatos a emprego


Gerente administrativo Pablo Victor Malin: Escolas e faculdades muitas vezes são fracas quando o assunto é matemática e lógica
Gerente administrativo Pablo Victor Malin: Escolas e faculdades muitas vezes são fracas quando o assunto é matemática e lógica

É na hora do processo seletivo para uma vaga de emprego que os recrutadores conseguem captar diversas habilidades que não constam no currículo do candidato.

No entanto, alguns profissionais deixam a desejar em conhecimentos básicos. Matemática e lógica, por exemplo, levam 80% à reprovação na seleção. Há casos, inclusive, de engenheiros que não conseguem solucionar uma simples regra de três.

“Matemática reprova 80% dos candidatos. Um em cada 10 conseguem resolver questões simples. Estou me referindo a pessoas com nível superior, engenheiros, por exemplo, que não sabem regra de três. O problema é mais comum para cargos em que exigimos conhecimentos analíticos e visão sistêmica”, afirmou o CEO da Heach, Elcio Paulo Teixeira.

Ele contou que na equação X+30=40 (a que está na foto), 80% erram a solução. Para quem ficou curioso, o recrutador deu a “cola”. “Basta passar os elementos que têm 'x' para um lado e os que não têm para outro, lembrando sempre de inverter o sinal a cada passagem pela igualdade. A conta fica assim: x + 30 = 40 / x = 40 - 30 / x = 10.

Ainda segundo ele, esse déficit está ligado ao modelo de Educação. “As pessoas estão acostumadas com a 'decoreba' e acabam não aprendendo verdadeiramente. Ainda bem que o modelo educacional está evoluindo e as novas gerações passam por um processo de aprendizagem muito mais próximo e aplicável ao dia a dia”.

A especialista em Gestão de Pessoas e Carreiras Gisélia Freitas também enxerga o problema dessa forma. “Matemática e Português sempre foram um calo nas nossas vidas. Sempre tivemos uma Educação muito fraca. Vejo isso em processos seletivos. Mesmo para cargos que não utilizam o raciocínio lógico, aplicamos questões dessas disciplinas, e a Matemática reprova muitos”.

Para Elcio, o nervosismo é agravante. “Muitos ficam nervosos, desestruturados emocionalmente e, com isso, não conseguem usar o lado racional do cérebro (que fica no córtex pré-frontal) e, com isso, o que é simples pode parecer algo desafiador”.

Eliana Machado, diretora da Center RH, afirma que a saída é o candidato se preparar, cada vez mais, para uma seleção.

Vacilos em Português e na internet

 Gisélia Freitas: “Ler também é uma ferramenta que contribui para tudo” (Foto: Divulgação)
Gisélia Freitas: “Ler também é uma ferramenta que contribui para tudo” (Foto: Divulgação)

Não é só a Matemática que elimina aspirantes às vagas de emprego. Os vacilos nas redes sociais e os erros de Português, sejam na escrita, sejam na fala, também deixam muita gente de fora do mercado. A recrutadora Luciana Roberty afirmou que, durante um processo seletivo, a análise das redes sociais dos candidatos já é uma etapa essencial.

“Assim como avaliamos os currículos, nós também olhamos as mídias sociais. É importante que o candidato esteja atento a isso, pois as postagens dizem muito sobre a personalidade dele. As fotos e o próprio texto são sempre analisados para verificar os comportamentos disfuncionais e os erros de Português”.

Ela contou que há um profissional especializado em analisar o comportamento dos candidatos nas redes, e isso inclui o WhatsApp. “Muitas seleções se iniciam com uma conversa nessa mídia. Às vezes, os erros de Português excluem esses candidatos da pré-seleção”.

Luciana disse ainda que é muito comum a utilização de vídeos de apresentação. “Eles servem como instrumento de avaliação, tanto na questão da linguagem quanto no que diz respeito ao perfil psicológico e comportamental do candidato”.

Outro ponto importante de avaliação da Língua Portuguesa é a prova escrita. “Nos processos seletivos, pedimos para o candidato escrever uma redação. Esse texto é analisado desde o Português correto, como a concordância verbal e nominal, até a análise da grafia. Muitos erram. Posso dizer que 50% não vão bem nessa hora”.

A especialista em Gestão de Pessoas e Carreiras Gisélia Freitas dá dicas para quem quer se dar bem em provas de Português e Matemática. “É importante que todos, independentemente do segmento de atuação, tenham estímulos para desenvolver e aperfeiçoar o raciocínio lógico. Ler também é uma ferramenta que contribui para tudo. Leitura sempre enriquece”.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados