Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Marta & cia.
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


Marta & cia.

E, de repente, a discussão sobre o futebol feminino saiu das redes sociais para os botequins e das esquinas para as resenhas do pós-pelada. A reboque dos jogos da seleção de Marta, Cristiane, Formiga & cia. nós, brasileiros, com ou sem machismo, mais ou menos críticos, incluímos o tema em nossas “sociais” e demos um sinal de evolução.

Tenho certeza de que os olhos hoje atentos no confronto com a França, anfitriã do Mundial, pelas oitavas de final, estarão menos impregnados do que estavam há 10 dias.

Mas acho tudo isso normal na escala do amadurecimento da sociedade. Basta lembrar que o próprio futebol masculino era um esporte ainda marginalizado no início do século passado, 40 anos após a bola começar a rolar por aqui. Antes de ser um meio de vida, “era coisa para os ricos” ou para “os filhos dos burgueses”.

Meu falecido pai, nascido em 1920, era repreendido ao tentar dizer à mãe que iria à praia jogar futebol com amigos. A aceitação da prática como profissão só foi possível depois que os clubes reviram o preconceito com os negros e com os pobres.

Os primeiros sinais do futebol feminino no Brasil foram percebidos com a criação do time do Esporte Clube Radar, de Copacabana, em 1981, dois anos depois de revogado o decreto-lei 3.199, de 14 de abril de 1941, que dizia: “Às mulheres não se permitirá a prática de desportos incompatíveis com as condições de sua natureza, devendo, para este efeito, o Conselho Nacional de Desportos baixar as necessárias instruções às entidades desportivas do País”.

O Radar, fundado em 1932, criou o time feminino em 81, e venceu o primeiro Estadual organizado pela Federação, assim como a 1ª Taça Brasil da CBF, ambas em 1983.

Ou seja: traçando um paralelo com a consolidação do próprio futebol masculino, lá nos anos 30 e 40, acho que nossa relação com o futebol feminino começa a atingir a maturidade, faltando só, como já escrevi, que as grandes empresas patrocinadoras entrem de sola no apoio de eventos da categoria aqui no Brasil para que as pessoas se habituem com o espetáculo sem compará-lo com o futebol masculino.

Que a turma de Marta, portanto, entre em campo hoje, em Le Havre, livre de qualquer fantasma.
Agora, sim!

A simples presença de Everton, o Cebolinha, entre os titulares da Seleção fez uma baita diferença.
Protagonista no futebol brasileiro e sul-americano, o atacante do Grêmio trocou de posições com constância, puxou o time com força e velocidade e deu ao time de Tite outro estilo de jogo.

Daí o placar de 5 a 0 na seleção peruana.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O fogo amigo

Os áudios gravados por Carlos Augusto Montenegro, vazados por algum de seus companheiros de grupo no WhatsApp, não deveriam ser notícia. Não fosse o fato de o ex-presidente capitanear o grupo que vem …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Cenário sombrio

É tenso o clima entre os jogadores e a diretoria do Botafogo para o jogo desta noite contra o Goiás, no Nilton Santos, duelo que ganhou contornos preocupantes. A insatisfação, que antes se dava …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

Com cinco pontos de vantagem sobre o Palmeiras, hoje o segundo colocado, o Flamengo começa a materializar uma supremacia que seus próprios adversários, nos bastidores, já perceberam. Não há no …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Outubro partido

A bela atuação do Flamengo em Porto Alegre, na primeira partida das semifinais da Libertadores, deixou um saldo amargo para os rubro-negros: em primeiro plano, o gol de Pepê, que decretou o injusto …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O fator Galhardo

Sei que o futebol exige respeito entre os competidores; que o jogo é disputado nas quatro linhas; e que não há favorito no confronto entre dois grandes clubes. Mas, seja lá qual for o clichê que se …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

Há tempos alerto por aqui que a cúpula da CBF deveria se reunir com representantes dos clubes ao término do turno e ver prós e contras do VAR em arbitral. E rever com eles orientações da Internationa…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A revolta dos treinadores

A Federação Brasileira dos Treinadores de Futebol (ABTF) tentou mobilizar os técnicos em atividade nos clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro em torno de um manifesto de luto pelo tratament…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A prova final

O Flamengo de Jorge Jesus inicia nesta quarta-feira (25) série mais crítica de jogos desde o início do trabalho, em julho. Até a partida contra o Santos, no dia 7 de dezembro, na última rodada …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

Em sua coletiva pós-jogo, o técnico do Cruzeiro, Rogério Ceni, confessou que é muito difícil tirar a bola dos pés dos jogadores do Flamengo. E tal declaração já me soou como a síntese deste …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Os novos desafios para os professores de filosofia

Os professores de filosofia vivem atualmente no Brasil uma situação bastante desafiadora. Após décadas de debate, de manifestações, de congressos acadêmicos e de lutas parlamentares, hoje a legislaçã…


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados