search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Mais de 200 jacarés na Grande Vitória

Notícias

Notícias

Mais de 200 jacarés na Grande Vitória


Jacaré-do-papo-amarelo: animal ameaçado é considerado símbolo da biodiversidade capixaba. Foto: Acervo Projeto Caiman
Jacaré-do-papo-amarelo: animal ameaçado é considerado símbolo da biodiversidade capixaba. Foto: Acervo Projeto Caiman
Jacaré-do-papo-amarelo: animal ameaçado é considerado símbolo da biodiversidade capixaba. Foto: Acervo Projeto Caiman

Lutar contra a extinção dos jacarés no Espírito Santo, que já somam mais de 200 na Grande Vitória. Esse é o principal objetivo dos protetores desses animais que fazem parte do Projeto Caiman – Jacarés da Mata Atlântica, que existe há um ano e meio.

Segundo o coordenador do projeto, Yhuri Nóbrega, já foram catalogados 200 jacarés somente em lagoas na Serra que ficam na área industrial da ArcelorMittal Tubarão, parceira do projeto.

“Inicialmente, o objetivo é mapear todo o Espírito Santo e compreender o estado de conservação, para, em seguida, adotar medidas que evitem o processo de extinção desse animal”, explicou.

O trabalho, segundo Nóbrega, acontece em três frentes: “Pesquisa, educação e sensibilização ambiental, além de formar jovens pesquisadores com o intuito de incentivar a pesquisa e o desenvolvimento científico e tecnológico.”

Outra luta dos protetores é mostrar que os jacarés não são agressivos. “Apesar de episódios como o que aconteceu em junho na Disney, que resultou na morte de uma criança, o nosso papel é mostrar que foi uma sequência de erros. A família entrou em um ambiente que é do animal e ele se sentiu ameaçado e agiu para se defender”, esclareceu.

Especialistas do projeto Caiman examinam animal monitorado. Foto: Acervo Projeto Caiman
Especialistas do projeto Caiman examinam animal monitorado. Foto: Acervo Projeto Caiman
Especialistas do projeto Caiman examinam animal monitorado. Foto: Acervo Projeto Caiman

O pesquisador explicou que o réptil ataca somente nessas duas situações, quando alguém invade seu habitat ou ele se sente  ameaçado.

Nóbrega orientou o que uma pessoa tem de fazer caso encontre com um jacaré, que pode sair da lagoa e procurar outro lugar com água, como valões. “O primeiro passo é não incomodar o animal, como tentar tocá-lo ou removê-lo. Em seguida, é preciso ligar para a Polícia Militar Ambiental, Ibama e Iema.”

Atualmente, a equipe do projeto composta por 13 profissionais, entre eles médicos veterinários, biólogos e ecólogos, está nas lagoas do complexo industrial da ArcelorMittal Tubarão.

“Ainda neste ano, o grupo vai atuar em Linhares e Sooretama para capturar, catalogar e entender a rotina desses animais. O intuito é ter esse levantamento em todo o Estado”, disse Nóbrega.

Um dos jovens engajados no trabalho é o estagiário e estudante de Medicina Veterinária Igor Machado, 29. “Eu participo na atuação na captura dos animais, pesagem e coleta dos materiais. No laboratório, eu faço a cultura das bactérias coletadas”, contou.

Números

- 6 espécies de jacarés há no Brasil e uma no Estado, que é o jacaré-de-papo-amarelo.

- 3 metros esse animal chega a medir quando adulto, pesando até 100 kg

- 1 hora é o tempo necessário para captura de um jacaré por especialistas para pesquisas

Membros do projeto com Jacaré para ser examinado. Foto: Acervo Projeto Caiman.
Membros do projeto com Jacaré para ser examinado. Foto: Acervo Projeto Caiman.
Membros do projeto com Jacaré para ser examinado. Foto: Acervo Projeto Caiman.

Curiosidades

- Os jacarés são fundamentais para o equilíbrio da biodiversidade e a extinção significaria risco para todas as espécies.

- No Brasil, existem seis espécies, já o Estado tem uma, o jacaré-de-papo-amarelo, que é considerado símbolo da biodiversidade capixaba.

- Esse animal é de porte médio, nasce com tamanho entre 10 a 15 cm e pode chegar até 3 metros e 100 kg.

- Não é considerado pelos ambientalistas um animal agressivo e perigoso.

- Seus hábitos são noturnos, são semiaquáticos, ou seja, conseguem viver dentro e fora da água.

- Quando filhotes, alimentam-se de insetos e invertebrados. Conforme crescem, comem moluscos, invertebrados, peixes, aves, mamíferos, além de jacarés menores e tartarugas.

- A diferença de crocodilos para jacarés é biológica, são duas classes diferentes. No Brasil, por exemplo, só existem jacarés.

- Para fazer a captura de um jacaré são necessários pelo menos dois homens capacitados.

- Caso  encontre um animal da espécie, não tente removê-lo e ligue para a Polícia Ambiental (3636-1650).

Projeto Caiman

O projeto Caiman existe há um ano e meio e faz parte do Instituto Marcos Daniel. Surgiu com o objetivo de realizar pesquisas e identificar o nível de conservação  dos animais e  impedir sua extinção.  Hoje, a equipe está nas lagoas do complexo industrial da ArcelorMittal Tubarão, na Serra, parceira do projeto, onde existem 200 jacarés. Neste ano grupo vai atuar em Linhares e Sooretama.

Reportagem: Tayla Oliveira (Jornal A Tribuna)


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados