search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Mães entregam filhos criminosos para a polícia

Notícias

Polícia

Mães entregam filhos criminosos para a polícia


Mesmo com o coração partido, mães estão denunciando os filhos à polícia na tentativa de preservar a vida deles, muitas vezes ameaçada.

Foi o que aconteceu com uma instrumentadora veterinária, de 37 anos, que quase foi morta por sua própria filha, uma jovem de 19 anos envolvida com o tráfico de drogas há cerca de um ano.

“Tenho uma luta muito grande com essa menina. Já fiz de tudo e não deu certo. Por fim, tive que colocá-la dentro da delegacia. Eu fui lá na casa onde ela morava, busquei a droga que era dela e entreguei à polícia”, contou aos prantos, sem se identificar.

Quem também teve de tomar essa atitude foi uma diarista de 37 anos que, por medo de represálias, preferiu não se identificar.

Após ter sido agredida pelo filho, um rapaz de 23 anos envolvido com o crime desde os 16, ela explica porque tomou essa decisão. “Ele se envolveu com o uso e o tráfico de drogas e, de repente, começou a fazer furtos e roubos para manter o vício. Procurei à polícia várias vezes, mas como não tínhamos provas, ele não ficou preso. Até do irmão, de 17 anos, ele já roubou”, relatou.

No último dia 24, durante um patrulhamento de rotina em um bairro de Cariacica, uma dona de casa – que não teve a idade revelada pela polícia – entregou o filho, suspeito de tráfico, aos militares.

O jovem conseguiu fugir dos policiais, mas a mãe dele indicou o local onde estavam escondidas as drogas e as armas que ele usava.

Morte

Casos como esses são comuns na Delegacia Especializada do Adolescente em Conflito com a Lei (Deacle), segundo o titular, delegado Wellington Lugão. Para ele, muitas mães agem dessa maneira porque não querem ver seus filhos mortos.

“Tem mãe que pede para a polícia apreender seu filho até mesmo para ela se resguardar. Às vezes, não só a mãe, mas toda a família, estão sendo ameaçadas por esse jovem. Elas fazem isso na expectativa de que o filho melhore a conduta tanto em casa quanto na rua. Muitas acabam falando até onde o filho esconde as drogas”, explicou o delegado.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados