Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Justiça federal libera curso de Medicina em Cachoeiro

Notícias

Educação

Justiça federal libera curso de Medicina em Cachoeiro


Os desembargadores da sexta turma especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), com jurisdição no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, negaram, por maioria dos votos, ação judicial movida pela Emescam que suspende a criação do primeiro curso de Medicina de Cachoeiro de Itapemirim.

Sem o impedimento, o Ministério da Educação (MEC) poderá dar sequência ao processo de instalação do curso superior de Medicina, que vai oferecer até 100 vagas anuais. No entanto, ainda cabe recurso à decisão do TRF2.

Caso a decisão seja mantida, o curso será instalado pela faculdade Multivix, a vencedora do edital 06/2014 do MEC, que abriu 2.300 vagas de Medicina em 36 cidades brasileiras, incluindo Cachoeiro.

Cinco faculdades disputaram o edital em Cachoeiro. Em julho de 2015, a Multivix foi declarada vencedora. Só que a Emescam não concordou com o resultado e entrou com ação em 2016 na Justiça Federal, que suspendeu o processo.

Em fevereiro, a Justiça Federal julgou improcedente a ação movida pela Emescam e o processo foi retomado. No entanto, foi suspenso novamente em julho, após novo recurso, desta vez no TRF2.

No processo, a Emescam afirma ter sido prejudicada por não receber pontuações durante o processo de seleção e solicita a exclusão da primeira colocada, sob argumento de que ela teria apresentado informações incorretas.

O MEC foi procurado pela reportagem, mas esclareceu que não teria como responder a tempo, antes do fechamento da matéria.

Com relação à decisão do TRF2, a Emescam informou “que está ciente” e adiantou que utilizará de recursos próprios para recorrer da decisão.

A Multivix também se manifestou, afirmando que “todas as etapas do processo seletivo foram realizadas com lisura, ética, idoneidade e compromisso com o melhor, não havendo irregularidade em cada uma das etapas”.

Enquanto aguarda a conclusão do processo, a Multivix investe
R$ 10 milhões na construção de nova sede no bairro Monte Belo, em Cachoeiro, onde deverão ser ministradas as aulas de Medicina. Ainda não há previsão de quando será feito o processo seletivo para as 100 vagas do curso.

Leia mais na edição de hoje do jornal A Tribuna.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados