Fabiana Tostes

Fabiana Tostes


Juristas do Estado no caso Lula

Durante o julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que resultou na rejeição do pedido de registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da SIlva (PT) à Presidência da República, na última sexta-feira, o ministro Tarcísio Carvalho Neto usou como referência livro de três juristas capixabas.

A obra é o “Curso de Direito Eleitoral”, escrito por Flávio Chem, Ludghero Liberato e Marcelo Abelha. Na sua segunda edição, serviu para sustentar um dos votos contrários ao registro do petista. “Existe um dispositivo legal, o 16-A, que serve para defender o candidato dentro de uma legítima expectativa de registro deferido, enquanto o caso está sendo julgado. Mas, a sentença que indefere registro, em situações como a do ex-presidente, na qual já se tem conhecimento que não terá o registro, deve produzir efeito imediato. Foi o que aconteceu e sustentamos no livro”, explicou Chem.

DNA governista
Filiado ao MDB para concorrer à Assembleia (o partido almeja conseguir três cadeiras), o ex-secretário da Segurança André Garcia lançou candidatura no último sábado e não faltaram membros do primeiro escalão. O governador Paulo Hartung (MDB) não foi, mas mandou video o apoiando. Garcia também atuou na gestão de Casagrande (PSB).

Sobre casamento
No último final de semana, a filha do conselheiro do Tribunal de Contas Sérgio Borges se casou. Entre os convidados estavam o atual governador Paulo Hartung (MDB) e seu antecessor, Renato Casagrande (PSB). Ficaram a poucos metros um do outro.
Borges foi líder de governo do emedebista e do socialista. Este foi quem lhe ratificou a indicação ao TC.

Felicidade de vascaíno 

 (Foto: Léo Rangel)
(Foto: Léo Rangel)

Vascaíno, o deputado estadual Hércules Silveira (MDB) levou ontem para o plenário da Assembleia uma sacola com o escudo do rival. Quando perguntavam para que aquilo, ele tinha a piada na ponta da língua: “Olha o que o Flamengo está ganhando este ano” e virava a sacola vazia.

Cem anos com mala de Geddel
Após o lamentável incêndio que atingiu o Museu Nacional, na noite do último domingo, vale reflexão sobre investimentos no setor: os R$ 51 milhões encontrados em malas num apartamento em Salvador e que, segundo a Polícia Federal, pertenciam ao ex-ministro Geddel Vieira Lima seriam suficientes para cobrir o repasse de verba federal (R$ 520 mil por ano) ao Museu Nacional por 98 anos!

Casa Civil atua na Assembleia Legislativa
O atual secretário da Casa Civil, Zé Carlinhos, que voltou ao cargo a pouco mais de uma semana, esteve ontem na Assembleia e conversou com, pelo menos, sete parlamentares. Ele se colocou à disposição dos deputados estaduais para conversar e se reuniu com o presidente Erick Musso (PRB). Segundo informações de bastidores, a presença dele no plenário serviu para apaziguar os ânimos dos aliados em uma eleição que o atual governo decidiu se isentar.

GALERIA

Comissionados
Tem prefeito do interior determinando que servidores comissionados participem de eventos políticos de seus aliados, assinem lista de presença e postem em suas redes sociais declaração de apoio.

Carro oficial
O deputado Marcelo Santos (PDT) entregou o carro oficial ontem. Mas informou, em ofício, que deixou de usá-lo desde o início de agosto. Ficando o veículo só à disposição da vice-presidência em eventos oficiais.

Dois senadores
O ex-governador Gerson Camata (MDB) entrou na campanha. Ele postou um vídeo na internet pedindo voto para os senadores Magno Malta (PR) e Ricardo Ferraço (PSDB). Ambos buscam a reeleição.

Fundo partidário
O vice-prefeito de Vila Velha, Jorge Carreta (Avante), candidato a deputado federal, anuncia que, se eleito, vai trabalhar para acabar com o fundo partidário. “O dinheiro tem de ir para Educação e Saúde”.