Grazieli Esposti

Grazieli Esposti

Jogo da vida

4X0. Não, esse não foi o resultado de Brasil X Suíça, ficamos bem longe disso. Esse foi o meu palpite no bolão da galera. Pois bem! Depois que acabou o jogo e a insatisfação e o desânimo eram notórios entre todos nós, fiquei pensando nesse lance de expectativa X realidade, que cabe para tudo na vida, inclusive para o futebol!

Aí me perguntei: Será que nós não estamos esperando demais da nossa Seleção? Fui além. Será que meu placar "exigente" é um reflexo da minha expectativa para tudo na vida? Será que sempre quero demais? Espero demais? Realmente, me cobro muito em tudo e sofro por isso. Não que eu considere buscar o melhor errado, mas acho que precisa ser ponderado. Precisamos definir batalhas, gastar energia com o que realmente é importante.

Claro que não estou falando aqui que devemos estar felizes com o resultado. Mas também não precisamos estar tristes. Foi apenas o primeiro jogo. Não é hora de desanimar, de jogar a toalha, dizer que já era. Pensa de novo na sua vida. Ao primeiro não você desiste? Quando a primeira porta se fecha, você não tenta mais? E ainda tem o outro lado da história. Temos mesmo que ganhar sempre? Ah sim, somos o tal país do futebol, então perder não pode. Sinceramente, se for para ganhar toda vez, não precisa nem competir.

O que vi nas mídias sociais foi um festival de descontentamento. Pessoas dizendo que não vão perder seu tempo vendo mais os jogos, que vão jogar as camisas fora etc. Lendo isso tudo, fico imaginando o que elas não falam e passam através de atitudes para os seus filhos. Por aqui, tento sempre aproveitar as oportunidades para algo a mais e a Copa é um excelente momento para transmitir ensinamentos e valores que eu quero que eles tenham, que façam parte de seu caráter e de sua personalidade, ainda em formação.

Em apenas um jogo podemos trabalhar muita coisa. Por exemplo. Saber lidar com a FRUSTRAÇÃO. Isso é urgente no mundo de hoje. As crianças estão acostumadas a serem sempre atendidas por nós em tudo. Não aprendem a perder ou passar por alguma “injustiça”, estou falando aqui dos erros de arbitragem que certamente nos prejudicaram, mas que refletem nosso dia a dia. Acredito que se conseguirmos passar isso para nossos filhos, poderemos ter uma geração no futuro menos mimada e egoísta como a nossa, onde cada um olha apenas para o seu próprio umbigo.

Outra tarefa importante para nós é ensinar a RESILIÊNCIA, que está ligada a frustração. Trata-se de saber lidar, de ter força interior suficiente para passar por situações difíceis, adversas, estresses e decepções. Ao permitirmos que eles enfrentem e resolvam sozinhos momentos assim, estaremos criando crianças mais fortes emocionalmente e que lá na frente saberão contornar as dificuldades da vida adulta.

Além disso, a Copa do Mundo também traz lições de RESPEITO, UNIÃO, COMPANHEIRISMO, ESPÍRITO DE EQUIPE, DIVERSIDADE e PATRIOTISMO. Sim, acredito que devemos ensinar as crianças a valorizarem nosso país e seus símbolos. Quero que meus filhos se emocionem como eu ao ouvirem nosso hino, ao verem nossa bandeira e que sintam orgulho de serem brasileiros. Sonho que eles queiram fazer a diferença, melhorar, mudar, batalhar por mais igualdade e menos injustiças e corrupção. Espero conseguir tudo isso!

E no mais, sigamos na torcida! E no próximo jogo estaremos todos novamente reunidos com os amigos para torcer mais uma vez e aprender sobre um tanto de coisas nesse jogo da vida. Até a próxima!