search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

“Já cheguei a acorrentar meu filho por 20 dias”, diz diarista de Cariacica

Notícias

Polícia

“Já cheguei a acorrentar meu filho por 20 dias”, diz diarista de Cariacica


Diarista de 45 anos sofre com envolvimento do filho no mundo do crime (Foto: Kananda Natielly / AT)
Diarista de 45 anos sofre com envolvimento do filho no mundo do crime (Foto: Kananda Natielly / AT)
Foi para tentar frear o filho, um jovem de 23 anos usuário de drogas e que tem envolvido no mundo do crime, que uma diarista de 45 anos, moradora de um bairro de Cariacica, decidiu acorrentá-lo por 20 dias.

Ela, que também já chegou a entregar o filho para à polícia, conta que o rapaz se envolveu com drogas ainda na adolescência, quando tinha apenas 16 anos. O jovem, que já tinha histórico de roubo dentro da própria casa, chegou a ficar preso por três anos e meio.

A mãe conta que decidiu acorrentar o jovem por saber que, na rua, a vida dele poderia estar em risco. “Fiz isso porque se eu o deixasse solto, eu não sei o que poderia acontecer com ele. A minha luta com ele é diária”, contou a mãe aos prantos.

O jovem, que é filho de um cabo da Polícia Militar, precisou morar em um cômodo separado da mãe, no quintal da casa, para que os objetos da família não fossem furtados. “Ele pega as coisas lá de casa e troca por pedra. Falo isso com um aperto enorme no coração”, lamenta a mãe.
crime

Leia Mais: Mães entregam filhos criminosos para a polícia

Leia Mais: “Paguei para mantê-la presa”, diz mãe de jovem de 19 anos

Segundo a diarista, a família do rapaz sempre lutou para que ele deixasse o mundo do crime. “Não sabemos porque ele se envolvou com isso. Eu e o pai dele, que é cabo da Polícia Militar, sempre fizemos tudo que podíamos para o nosso filho, mas de nada adiantou. Hoje não consigo mais dormir. Eu pesava 60 quilos, agora estou com 47. Não vivo mais”.

Atualmente, a mãe do rapaz sonha com uma internação para ele. “Já tentei a internação compulsória, mas me negaram duas vezes. Porém, estou tentando de novo. Estou com processo aberto. Essa é minha única esperança depois de Deus”, disse a mãe.

A diarista relatou ainda o momento que precisou chamar a polícia para o filho.

“Foi em um período que ele estava roubando muito as coisas da minha casa. Teve um dia que eu surtei e fui na rua buscá-lo. Ele chegou a me empurrar e me agredir e eu o entreguei para a polícia”, explicou.

De acordo com a diarista, a decisão de acorrentar e entregar o filho para a polícia foi uma das mais difíceis que ela teve de tomar em toda a sua vida. “Não foi fácil, mas naquele momento, era o que deveria ser feito”.

Após reconhecer filho em vídeo, mãe faz denúncia

Após ter acesso ao vídeo de um assalto ocorrido na Serra há cerca de três semanas, uma mãe, moradora do mesmo município e que não teve a identidade revelada pela polícia, reconheceu um dos assaltantes e decidiu entregá-lo para a polícia. O suspeito era o seu próprio filho, um homem de 32 anos, que também não teve o nome revelado.

No último dia 10, a mulher optou por procurar a vítima para contar que o seu filho era um dos suspeitos envolvidos no crime.

Delegado Rodrigo Rosa diz que a polícia já investigava o crime, mas não tinha pistas sobre os acusados (Foto: Antonio Moreira / AT - 26/04/2019)
Delegado Rodrigo Rosa diz que a polícia já investigava o crime, mas não tinha pistas sobre os acusados (Foto: Antonio Moreira / AT - 26/04/2019)

De acordo com o titular do 29º Distrito Policial (DP) de Jacaraípe, delegado Rodrigo Rosa, a polícia já investigava o crime, mas não tinha pistas sobre os acusados. “A vítima então veio para a gente e contou que a própria mãe do assaltante tinha dito para ela que o filho era o responsável pelo roubo. Daí, nós a procuramos e ela confirmou o envolvimento do filho no crime”, disse o delegado.

Rodrigo Rosa diz que casos como o dessa mãe acontecem pelo menos uma vez por mês na delegacia. “Já aconteceu várias vezes. Pelo menos uma vez por mês aparece um caso desses. Elas chegam aqui pedindo para que a gente vá a casa delas para prender seus filhos, mas é impossível fazer isso sem uma prova contundente. Algumas pedem para que os filhos sejam retirados de dentro de casa”, disse.

Sobre o jovem denunciado pela mãe, o delegado informou que já concluiu o inquérito que apurava o roubo ao estabelecimento comercial e um mandado de prisão contra o rapaz já foi emitido.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados